Cultura Eventos Destaques Muçum

2ª Festival de Música das Pontes ocorre no dia 21

Estação Ferroviária deve receber bandas e apresentações de projetos locais. Créditos: Luís Gustavo Bettinelli

Evento beneficente tem como protagonistas artistas locais e de cidades vizinhas

Depois de receber o projeto Trem dos Vales, uma realização histórica para todo Vale do Taquari, a Estação Ferroviária de Muçum deverá ser palco do 2º Festival de Música das Pontes – A hora do trem. O evento que é beneficente acontece no dia 21 deste mês. Até então são sete bandas confirmadas, que sobem ao palco a partir das 20h. Antes disso, a partir das 17h, apresentam-se o grupo Arte e Desenvolvimento Cultural do CRAS e a Banda Marcial da Escola Souza Doca.

Em caso de risco de mau tempo, o evento será transferido, acontecendo no Lonão da Praça da Matriz, no centro da cidade. A entrada será franca. No entanto, por ser beneficente, é pedido que todos façam doações espontâneas em dinheiro à Liga Feminina de Combate ao Câncer de Muçum, entidade cujo trabalho é voluntário e relevante à comunidade muçunense. Eventuais patrocínios serão utilizados apenas para cobrir custos relacionados à estrutura necessária (som e luz) para realização e remuneração das bandas. Conforme um dos idealizadores, Jonatã Baroni, conhecido por Tatá, havendo superávit o valor sobressalente será deixado com a instituição beneficiada na condição de “fiel depositário” e será usado no custeio da próxima edição do evento.

Tatá que é baterista da banda Bandidos da Noite, uma das atrações do evento, conta que o festival se trata da concretização de duas ideias: a primeira nutre o objetivo de apresentar e privilegiar músicos e bandas locais e regionais; a segunda consiste em trazer e estender o conceito de “Rock Solidário” na região, com objetivo de promover eventos que envolvam música e ações voltadas à caridade, em prol de entidades necessitadas ou causas sociais. “Em tempos em que a confiança e a esperança em determinadas instituições e pessoas são postas à prova, vamos fazer a nossa parte na tentativa de criar uma ‘espiral do bem’” diz.

A realização é da Galera do Rock de Muçum e da Administração Municipal, através da Secretaria de Ação Social, Cultura, Turismo e Desporto, com apoio do Grupo Encantado de Comunicação. Haverá Praça de alimentação (só será aceito dinheiro em espécie pelos estabelecimentos), estrutura física com banheiros e amplo local para estacionamento no pátio da estação. É solicitado que os participantes levem suas cadeiras para maior comodidade.

História

No final dos anos 90, em uma época pré-internet e de acesso não tão fácil à informação, os “aspirantes” a músico, deleitavam-se qualquer fosse o evento que envolvesse música ao vivo na cidade. Poucas eram as opções e, por conseguinte, os alunos daqueles um ou dois professores de música que atuavam na cidade, se espremiam para assistir aos shows o mais próximo do palco que conseguiam.

Nesse tempo, ora lembrado como “difícil”, ora nostálgico, a imaginação de dois músicos-moleques começava a ganhar asas. Inspirados por eventos que aconteciam fora de Muçum, muitas vezes nas cidades vizinhas, Vinícius Galvão e Jonathan Baroni, imaginavam o dia em que conseguiriam criar a cena perfeita para um festival de bandas de Rock, sendo que, em todos os cenários, as várias belezas naturais e arquitetônicas da cidade eram pensadas enquanto “planos de fundo”.

Com a perda prematura do amigo e parceiro de banda, João Fernando Dalmolin, no final de 2016, os amigos que, por anos e por razões da vida adulta, estiveram afastados, decidiram se reencontrar novamente para pôr em prática velhas ideias e se permitirem sonhar novamente. No final de 2017, após 7 anos de pausa, houve uma grande reunião dos membros da banda Bandidos da Noite, para uma única apresentação aberta ao público e gratuita, afim de homenagear o antigo parceiro de banda e eterno amigo.

A apresentação de 2017 acabou acendendo uma centelha e os planos da época de moleque começaram a vir à tona. No ano de 2018, Tatá e Vinicius decidiram que iriam criar o piloto do que almejavam ser o festival. Com raríssimos recursos vindos do comércio e indústria locais, em parceria com o CDL e com um grupo de pessoas ligadas à ideia – a “Galera do Rock de Muçum” -, promoveram a primeira edição do “Festival de Música das Pontes”.

Segundo Baroni, o primeiro festival, que se realizou na Praça Matriz, foi “humilde”, contando com apenas duas bandas locais. No entanto, foi o suficiente para fazer com que o sonho começasse a ganhar forma e tivesse seguimento.

Bandas confirmadas

  • – “Alex B” – Muçum/RS – Pop/Rock anos 90 e contemporâneo;
  • – “Bandidos da Noite Revival” – Muçum/RS – Rock anos 70 e 80;
  • – “Mob Dick – Encantado/RS” – Rock anos 70 e 80 (reencontro da banda após 25 anos);
  • – “Sexplícito” – Encantado/RS – Folk e Rock anos 60 e 70 (reencontro da banda após 30 anos);
  • – Rockústica – Guaporé/RS – Pop/Rock/MPB;
  • – Digão Camini – Arvorezinha/RS – Rock autoral acústicos e rock anos 90.
  • – TEP – Roca Sales/RS – Pop/Rock/Acústico Bar.

 

 

Créditos: Luís Gustavo Bettinelli
Assessoria de Imprensa de Muçum