Artigos - Desenvolvimento Rural

“A importância dos trabalhos colaborativos” – por Vanessa Daltoé

Vanessa Daltoé (Foto: Diuvlgação)
Vanessa Daltoé (Foto: Diuvlgação)

A realização de trabalhos colaborativos e coletivos entre empresas constitui uma alternativa para acelerar o desenvolvimento econômico e torna-las mais competitivas frente ao mercado consumidor. Deste modo, surgem modelos organizacionais baseados no associativismo, na complementariedade e no compartilhamento, estabelecendo como referência o conceito de redes.

As redes constituem uma forma inovadora de promover a competitividade e a permanência no mundo globalizado. O trabalho em redes estimula a atividade de cada ator envolvido, sem necessariamente estabelecer laços financeiros entre eles. Nesse contexto, também atuam os Arranjos Produtivos Locais, promovendo a cultura da união de esforços e da troca de conhecimento, ampliando de forma inovadora (e saudável) a competividade entre os empreendimentos.

O êxito de um APL está intimamente relacionado à participação e à capacidade de cooperação dos seus integrantes com os seus semelhantes e com a cadeia produtiva em que estão inseridos. Os desafios são constantes a medida que o trabalho em grupo exige a harmonia de diferentes saberes, valores e ideologias. Contudo, o pensamento colaborativo deve ser constante no grupo e, é um compromisso do APL fomentar relações colaborativas entre as instituições e empresas do internas e externas ao grupo.

A união dos empreendimentos amplia o poder de compras, combina diferentes competências e explora novas oportunidades, oferecendo produtos com qualidade superior e empregando a diversificação como estratégia de atuação no mercado. Desta forma, pode-se afirmar que a participação dos diferentes atores é fundamental para alavancar a dinâmica do grupo, mitigando, assim, a estagnação econômica e social.

No caso do APL das agroindústrias familiares do Vale do Taquari (AF VT) essa realidade não é diferente. Na agricultura familiar a pesquisa e a inovação exercem papel fundamental para fortalecer o desenvolvimento econômico e social do grupo. Assim, é necessário estimular ações conjuntas que visem a redução de perdas, fortaleçam o planejamento e ampliem o conhecimento no que se refere a agregação de valor aos produtos, promovendo o desenvolvimento regional sustentável (social e economicamente). Nesse contexto, o APL AF VT atua para estabelecer (e manter) relações de parceria, trabalhando em conjunto para desenvolver ações que permitam ampliar a competitividade e fortalecer a cadeia produtiva de alimentos da agricultura familiar.

Reconhecer a importância do trabalho colaborativo e compreender a sua importância é fundamental para promover o desenvolvimento regional sustentável e fomentar o empreendedorismo nas cadeias curtas como, por exemplo, na agricultura familiar.

BIBLIOGRAFIAS CONSULTADAS

AMATO NETO, J.; OLAVE, M. E. L. Redes de cooperação produtiva: uma estratégia de
competitividade e sobrevivência para pequenas e médias empresas. Gestão & Produção, São Carlos, v. 8, n. 3, p. 289-303, 2001.

CRUVINEL, P. E. Rede de inovação e pesquisa para a agricultura do Brasil baseada em modelo de desenvolvimento regional. Labor & Engenho, Campinas [Brasil], v.4, n.4, p.93-105, 2010.

Vanessa C.B. Daltoé
Gestora | APL – AF Vale do Taquari