RS RSS Destaques Geral Lajeado

“A migração é inerente ao desenvolvimento dos países”

Evento Internacional organizado pela Univates segue até quarta-feira (Foto: Ana Amélia Ritt)

O II Seminário Internacional Migrações e Direitos Humanos teve início nesta segunda-feira,28, com a palestra “Transnacionalismo e redes sociais no processo migratório”, ministrada por Carlos Nieto, doutor em Ciências Sociais e Políticas pela Universidade Católica de Lovaina (Bélgica). O evento ocorre até quarta-feira, dia 30, na Univates, sendo gratuito e aberto ao público.

Durante a atividade, Nieto, que também é funcionário internacional da Secretaria-Geral da Comunidade Andina, apresentou a pesquisa que realiza sobre as migrações e explicou o conceito de redes migratórias, afirmando que muitas pessoas decidem migrar pela influência de outras que já passaram pela experiência. Assim, o estudioso explicou que há redes familiares, comerciais, de tráfico de pessoas, de coiotes e de acolhimento.

Nieto também trouxe o conceito de reticularidade transnacional, explicando que a migração é um conjunto de redes. “O migrante não é entendido apenas com relação ao local de origem ou destino, mas a todo o processo de avanço, do passo a passo”, explicou. O palestrante finalizou o momento afirmando que a migração e a diversidade cultural não são problemas a se resolver, e, sim, fazem parte da realidade que deve ser estudada. “A migração é inerente ao desenvolvimento dos países. Todos somos migrantes. Precisamos que esse conceito esteja mais socializado”, comenta ao fazer menção também à necessidade de políticas públicas.

Programação

Nesta terça-feira, 29, pela manhã ocorre uma mesa-redonda sobre projetos de extensão desenvolvidos por universidades voltados a atender a demandas de imigrantes. À tarde, às 14h, haverá reunião de grupos de trabalho sobre as diversas temáticas do seminário. Depois, haverá duas mesas-redondas: uma às 18h30min com representantes de setores sociais mais vulneráveis e outra às 19h com três imigrantes contemporâneos residentes no Vale do Taquari vindos do Senegal, Haiti e Bangladesh.

No dia 30, além das reuniões dos grupos de trabalho, haverá lançamento de livros, mostra audiovisual elaborada por imigrantes haitianos e reunião dos grupos de pesquisadores do Núcleo de pesquisa Migrações Internacionais e Pesquisa do Sul (Mipesul). O encerramento será com a palestra “Jóvenes, mujeres y migrantes: cuestiones generacionales y formas de organización en Buenos Aires”, ministrada pela doutora Natalia Gavazzo, professora da Universidad Nacional de San Martín, Argentina.

O evento tem o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) por meio do edital do Programa de Apoio a Eventos no País (Paep), do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD) e do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS) da Univates. Mais informações podem ser obtidas no site do evento, em www.univates.br/evento/migradh.

Texto: Ascom Univates