Cultura Social Lajeado

Ações marcam Dia da Consciência Negra em Lajeado

Nesta quarta-feira, 20/11, o Dia da Consciência Negra foi comemorado em Lajeado com diversas atividades.

Viva o Quilombo

Para celebrar o protagonismo e vivenciar a cultura Afro-Brasileira, por meio de músicas, oficinas e exposição, ao longo dessa quarta-feira, 20/11, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – Espaço da Cidadania, abriu suas portas para receber o Viva o Quilombo, um evento realizado em parceria com a Comunidade Quilombola – Loteamento 17, do bairro Morro 25, em alusão ao Dia da Consciência Negra.

Em sua primeira edição, o Viva o Quilombo surgiu a partir das atividades desenvolvidas com famílias quilombolas no CRAS e no próprio loteamento, desde 2018.

Durante todo o dia, o CRAS – Espaço da Cidadania, recebeu a comunidade com uma programação diversificada. Oficinas de trança, de turbantes, maquiagem e unhas foram ministradas por mulheres quilombolas. Entre elas, estava Taiane Beatriz da Silva, que há 27 anos mora no loteamento 17, do bairro Morro 25, com outras 13 famílias. ”Esse evento é uma oportunidade para a população conhecer mais sobre a nossa comunidade e a nossa cultura. As atividades foram pensadas em conjunto com o CRAS. É um dia especial para todos nós”, ressaltou Taiane.

Beatriz Conceição Alves de Lima, 53 anos, prestigiou o evento e  participou da oficinas de turbante e de trança.  O Dia da Consciência Negra é uma data importante, que costumo comemorar como um dia de alegria e de conquista”, contou Beatriz.

Já a oficina de arteterapia foi ministrada por profissionais do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), que apresentaram duas sessões do curta-metragem “Vista minha pele”, que retrata uma história invertida da realidade brasileira. Após as sessões, provocaram reflexões no público por meio de roda de conversa e atividade artística. Ainda, o evento contou com apresentações culturais dos grupos do CRAS, que garantiram a diversão do público.

Ao meio-dia, “Las Locas”, um Grupo de Inclusão Produtiva do CRAS Centro, preparou um almoço para as famílias quilombolas. À tarde, a rua Júlio May foi fechada para a realização do evento, que também contou com a apresentação do projeto de dança da Escola Municipal de Ensino Fundamental Francisco Oscar Karnal (FOK).

Saiba mais

Desde 2018, a comunidade quilombola do Loteamento 17, localizada no Bairro Morro 25, tem se envolvido em oficinas com famílias, previstas no Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF). Essas oficinas visam a valorização da cultura negra, o empoderamento feminino e o fortalecimento do potencial do território. Entre algumas ações realizadas com a comunidade, estão a apresentação da peça teatral “Quilombo das 7 Léguas” na Festa Junina do CRAS em 2018, a Oficina de Valorização do Mês da Mulher, quando foram confeccionados e entregues mimos às mulheres, e a oficina Abayomi, ministrada pelas mulheres do Quilombo do Morro 25 na Casa de Cultura.

“No nosso trabalho diário buscamos potencializar e empoderar as famílias enquanto comunidade quilombola na questão da organização e da luta pelos direitos coletiva”, contou a assistente social do CRAS, Eliana Becker.

Quizomba

Desde o dia 13/11, uma série de atividades realizadas pela Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), em parceria com o Quilombo Unidos de Lajeado, Grupo Oxósse de Capoeira e Centro de Cultura Afro Brasileira, estão movimentando também o Parque do Dick e a Casa de Cultura. Nesta quarta-feira, 20/11, os efeitos na sociedade após a morte de Zumbi foi tema da roda de conversa realizada na Casa de Cultura.

Mediada pela integrante do Quilombo, Camila da Silva Marques, pelo mestre de capoeira Karkará, pelo representante do Centro de Cultura Afro-brasileira Recioli dos Santos, pelo professor Gilson dos Anjos e por André Ves, do Ministério Público Federal, a roda de conversa abordou a história e a importância de Zumbi dos Palmares, além da posição do negro na sociedade. “Abordamos sobre a luta do povo negro por conseguir mais respeito e dignidade a sua condição de pessoas portadoras de direitos. Acreditamos que a sociedade precisa fazer esse debate permanentemente no sentido de que se consiga construir uma sociedade mais justa e igualitária”, contou Gilson dos Anjos.

Sessão de cinema, rodas de capoeira, show, apresentação de grupos de dança contemporânea e oficinas também integraram a programação. As atividades do Quizomba seguem até o dia 25/11.

Confira a programação do Quizomba

21/11 – 13h30, na Casa de Cultura – História da Capoeira / Ancestralidade

22/11 – 9h30, na Casa de Cultura – Contação de histórias, sob organização do Centro de Cultura Afro Brasileira.

25/11 – 13h30, na Casa de Cultura – Oficina cultural Cabelo para a Liberdade

Texto e fotos Pietra Darde
Assessoria de Imprensa de Lajeado