Coronavírus Educação Teutônia

Aulas não presenciais: uma nova forma de ensinar durante a pandemia

Algumas escolas, como a Professor Guilherme Sommer, estão entregado atividades impressas

Aulas virtuais, entregas de atividades nos educandários ou, ainda, professores levando material à casa dos alunos: cada escola adequou as aulas à sua realidade

 

A pandemia do novo coronavírus tem trazido inúmeros reflexos, inclusive nas formas de ensinar. Em Teutônia, as aulas presenciais estão suspensas desde o dia 19 de março, levando a Secretaria de Educação a adotar o ensino domiciliar, por meio de atividades programadas. Por meio de aulas virtuais, entrega presencial de atividades nos educandários ou, ainda, professores levando material à casa dos alunos são algumas das formas de como as aulas vem ocorrendo.

Cada escola adequou as suas formas de ensino à sua realidade local e aos professores coube encontrar formas criativas de ensinar, garantindo os direitos e objetivos de aprendizagem dos estudantes. As atividades planejadas pelos professores seguem com base nas competências e objetivos de aprendizagem previstos na Base Nacional Comum Curricular. As atividades também estão sendo devidamente registradas.

Desde o dia 3 de abril, o envio das atividades ocorre de forma semanal ou quinzenal. Visando a equidade e a igualdade dos estudantes, as atividades que são elaboradas pelos professores, em suas residências, com suas ferramentas de trabalho, procuram atender o máximo de estudantes de todas as turmas, desde a Educação Infantil até as séries finais do Ensino Fundamental.

A maioria das escolas utilizam ferramentas tecnológicas, como o WhatsApp, Facebook, Youtube e blogs para repassar as atividades aos alunos, sendo que algumas, onde os alunos não têm acesso à tecnologia, ainda oferecem a opção dos pais retirarem material impresso nos educandários. Outras escolas, como a Professor Guilherme Sommer, na Vila Popular, entrega as atividades 100% impressas, mas oferece a opção dos pais e alunos contatarem os professores via WhatsApp em casos de dúvidas.

As escolas multisseriadas do interior também adequaram suas formas de ensino à sua realidade. Na Emef São Jacó, na Linha São Jacó, por exemplo, a diretora Noeli Quadros leva as atividades na residência de cada aluno. E não somente as atividades da semana! O seu carro se transformou em uma biblioteca móvel, ou seja, os alunos podem escolher livros para a leitura da semana.

A secretária de Educação, Rosana Schneider Rührwiem, ressalta que, neste período de excepcionalidade e emergência, semanalmente são feitas videoconferências com as equipes diretivas das escolas. “Só temos a agradecer ao empenhos dos diretores e seus professores neste momento. Estamos percebendo que há produtividade e qualidade no retorno que recebemos das famílias”, salienta.

A Secretaria de Educação vem trabalhando em sintonia com o Conselho Municipal de Educação, para que as 800 horas letivas obrigatórias exigidas em lei possam ser cumpridas e ajustadas à nova realidade. “O Conselho, órgão normatizador que regulamenta legalmente as ações das escolas, deverá validar as atividades domiciliares realizadas pelos alunos sob orientação dos professores, com base na resolução do Conselho Nacional de Educação 05/2020”, explica Rosana.

A titular da pasta ainda observa que o momento tem sido desafiador, mas que o trabalho em equipe, mesmo que não presencial, está sendo fundamental. “A pandemia exigiu muitas adequações, inovações e a reavaliação das formas de ensinar. Antecipamos formas de ensino que seriam tendência num futuro próximo, embora muitas adequações à nossa realidade foram necessárias. Sentimos falta de estarmos próximos, de ver a alegria e a empolgação das nossas crianças nas escolas. Que possamos o mais breve estarmos juntos novamente”, frisa Rosana.

Paralelamente às aulas programadas, a Prefeitura de Teutônia, por meio da Secretaria de Educação e do Conselho Municipal de Alimentação Escolar iniciou a distribuição da merenda escolar em forma de cestas básicas para as famílias de alunos que se enquadram em critérios de vulnerabilidade. No final de abril, foram 270 cestas distribuídas para as famílias dos alunos das escolas da Rede Municipal de Teutônia e as frutas, verduras e legumes foram doadas ao Hospital Ouro Branco e aos Lares dos Idosos de Teutônia.

Na próxima semana, está previsto o início da segunda etapa da entrega das cestas básicas às famílias dos alunos que se enquadram em critérios de vulnerabilidade. Para estas cestas serão adquiridos, principalmente, alimentos da agricultura familiar. A previsão é de que sejam entregues novamente aproximadamente 270 cestas.

A entrega das cestas ocorreu com base na Lei Federal nº 13.987/2020, que autoriza, em caráter excepcional, durante o período de suspensão das aulas em razão de situação de emergência ou calamidade pública, a distribuição de gêneros alimentícios com recursos do programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) aos pais ou responsáveis dos estudantes de escolas públicas de educação básica.

Durante o período da pandemia, as escolas estão recebendo diversas melhorias, como pinturas, troca de mobiliário e equipamentos, reformas de brinquedos, entre outras. O serviços estão sendo feitos pela equipe de manutenção da Secretaria de Educação.

 

 

 

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer
CRÉDITOS DAS FOTOS: Édson Luís Schaeffer/divulgação