Brasil Turismo

Brasil é o 11º destino do mundo para realização de eventos

Para estimular o turismo de eventos, MTur investe em Centros de Convenções (Foto: Divulgação/MTur)
Para estimular o turismo de eventos, MTur investe em Centros de Convenções (Foto: Divulgação/MTur)

O segmento de eventos internacionais bateu recorde em 2015 de acordo com levantamento feito pela Associação Internacional de Congressos e Eventos (ICCA, na sigla em inglês). Foram 12.076 eventos no mundo, 571 a mais do que o registrado em 2014. O Brasil sediou 292 eventos em 2015, um a mais do que em 2014. No ranking global, o Brasil recuou uma posição em relação ao ano anterior, passando da 10º para a 11ª posição entre as nações que mais sediam eventos internacionais.

“Acredito no turismo com uma das alavancas da retomada da economia brasileira e o segmento de negócios é fundamental para o país reduzir o efeito da sazonalidade e ampliar os ganhos com o setor de viagens. O país precisa investir na atração de eventos para gerar emprego e renda para a população, esse é um dos nossos grandes desafios”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

Para ser contabilizado no ranking da ICCA, os eventos internacionais devem seguir alguns critérios: serem organizados pelas associações filiadas, ter uma periodicidade fixa, contar com ao menos 50 participantes e terem realizado ao menos três edições.

O comunicado da ICCA explica que, embora o ranking possa fornecer dados relevantes sobre o desempenho relativo do país, o diagnóstico completo só pode ser feito após análise de todos os dados referentes aos eventos que ocorrem em um destino.

“É sempre arriscado tirar conclusões a partir de informações de um único ano, mas parece que a concorrência está ficando mais difícil para os líderes tradicionais do mercado, com um crescimento mais rápido fora das 10 primeiras posições”, afirmou o presidente da ICCA, Martin Sirk.

O executivo afirmou ainda que os números podem refletir uma tendência de que muitos dos principais destinos estão começando a criar seus próprios eventos internacionais, em vez de buscarem eventos organizados por associações tradicionais. Estas novas reuniões não aparecem nos dados da ICCA, uma vez que eles não costumam girar entre outros países – um dos critérios para ser contabilizado no ranking.

Desde o início da série histórica, em 2003, o número desses eventos realizados no Brasil mais do que quadruplicou, passando de 62 para os atuais 292. Dados do Ministério do Turismo mostram que negócios, eventos e convenções representam a motivação de 21,9% dos turistas estrangeiros que visitam o Brasil. O gasto médio por pessoa deste turista é de US$ 103,06 por dia, 18,5% a mais do que o gasto dos turistas que vêm ao país a lazer.

Texto: Assessoria de Imprensa do Ministério do Turismo