Brasil Destaques Geral

Brasil Mais Produtivo beneficia pequenas e médias indústrias

O programa federal incentiva a competitividade e vai beneficiar mais de 300 empresas gaúchas - Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini
O programa federal incentiva a competitividade e vai beneficiar mais de 300 empresas gaúchas – Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini

O programa Brasil Mais Produtivo, coordenado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), pretende atender 3 mil empresas brasileiras, de pequeno e médio porte, até o fim de 2017, com um investimento de R$ 50 milhões. O objetivo é aumentar a competitividade e a produtividade das indústrias em pelo menos 20%. O programa foi lançado no Rio Grande do Sul nesta sexta-feira (7), na Fiergs (Federação das Indústrias do RS), em Porto Alegre, com a presença do governador José Ivo Sartori e do ministro do MDIC, Marcos Pereira.

Empresas que tenham entre 11 e 200 funcionários, organizadas em Arranjos Produtivos Locais (APLs), vão contar com 120 horas de consultoria de especialistas do Senai. O foco é o aumento da eficiência dos processos produtivos, com modificações rápidas e de baixo custo, para aprender como reduzir os desperdícios que impactam na produtividade. O projeto foi testado em 18 empresas e provou que investir em produtividade é fundamental para fortalecer a indústria.

Agora, o programa Brasil Mais Produtivo passa a ter atuação em todo o país, reunindo parceiros comprometidos com o crescimento da indústria nacional. A iniciativa prevê o investimento em quatro setores prioritários: alimentos e bebidas; metalmecânico; moveleiro; e vestuário e calçados.

O governador José Ivo Sartori citou o engajamento nacional para a retomada do crescimento econômico. “É vital despertar Arranjos Produtivos Locais, potencializar o que cada região tem de mais valioso e agregador. O Brasil e o Rio Grande do Sul são ricos demais para viver com dificuldade e desafios. E de todas as nossas riquezas, a maior delas é a força do trabalho e o nosso capital social”, destacou.

Sartori enfatizou a importância dos recursos que serão destinados para as empresas, mas afirmou que a “mudança só acontece de verdade com a consciência de que para vencer as dificuldades uma nova atitude é o caminho”, ressaltou.

Segundo o ministro da MDIC, Marcos Pereira, 2.870 vagas já foram preenchidas no Brasil para participar do programa. “No Rio Grande do Sul foram reservadas 330 vagas e já temos 231 industrias inscritas”, destacou.

O ministro também falou que reconhece que os números da indústria brasileira não foram favoráveis nos último anos, mas que este é um “grande desafio para nós, de encontramos novos caminhos para o crescimento e ajuste do setor”.

Pereira também adiantou que ainda em outubro o governo Federal deve lançar um programa similar voltado a eficiência energética, com projeto piloto realizado em 50 empresas que também receberão consultoria nessa área.

O secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, disse que este é um programa estratégico e o governo do Estado é parceiro. “Vamos fortalecer essa iniciativa para trazer resultados positivos, fazendo com que o Estado volte a ter crescimento econômico, e mais geração de empregos e renda”, destacou.

Para o presidente da Fiergs, Heitor Müller, o programa lançado tem plena sintonia com o sentimento da instituição e dos empreendedores. “Queremos que a economia brasileira se desenvolva. Queremos a expansão sustentada do setor industrial. E esperamos que o programa também possa abranger mais segmentos da indústria, além dos primeiros que serão atendidos”, afirmou.

Sobre o programa

A iniciativa é uma realização do MDIC, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), com a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Texto: Cassiane Osório
Edição: Denise Camargo/Secom

Fonte: Governo RS