Saúde Encantado RSS

CAPS realiza Ciclo de Palestras Saúde Mental em Debate

profissionais da área da saúde, educação, assitência social, conselhos tutelares de toda a região
Profissionais da área da saúde, educação, assistência social e conselhos tutelares de toda a região participaram do evento (Foto: Gisele A. Feraboli)

Com o objetivo de debater a respeito das “Políticas públicas sobre álcool e outras drogas: os desafios do cuidado na contemporaneidade”, a Secretaria Municipal da Saúde e Meio Ambiente, por meio do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) A Casa de Encantado, com o apoio do Projeto Percursos Formativos na Rede de Atenção Psicossocial (Raps) do Ministério da Saúde realizaram mais um Ciclo de Palestras Saúde Mental em Debate. A programação ocorreu na sexta-feira (30), no Auditório Itália do Centro Administrativo Municipal contando com a presença de profissionais da área da saúde, educação, assistência social, conselhos tutelares de toda a região.

Durante a abertura, a secretária municipal da Saúde e Meio Ambiente, Clarissa da Rosa Pretto Scatola, deu as boas-vindas aos presentes. “Precisamos articular todos os setores da sociedade, saúde, educação, assistência social e sistema judiciário para discutir um tema de tamanha complexidade”, enfatizou. Também fez uso da palavra salientando a importância do evento e da discussão sobre o assunto o psicólogo e ativador de redes do projeto percursos formativos na Raps, Joelson Ferreira.

Antes das palestras, a poetisa encantadense, Ligia Maria Scarello, declamou poesias de sua autoria, sendo aplaudida pelos presentes. Na sequência, tiveram início as explanações sobre o tema. O primeiro palestrante foi o historiador, Ricardo Charão que fez um relato histórico do problema de álcool e drogas vivido no Brasil salientando que as políticas públicas voltadas à saúde só começaram a ocorrer no país com a Constituição Federal e a lei 8080.

O juiz de direito da Vara da Infância e família da Comarca de Passo Fundo, Dalmir Franlin de Oliveira Junior, falou de sua experiência na Vara da Família, de cidadania e de políticas sociais. Também o assistente social da UERJ, Marco José de Oliveira Duarte; e o médico psiquiatra, Rogério Horta, que foi o mediador do debate, abordaram a importância dos programas de prevenção e do trabalho que os CAPS realizam. À tarde houve rodas de conversa sobre diversos enfoques relacionados ao tema integrando os profissionais presentes, os quais puderam trocar experiências e aprofundar conhecimentos.

Texto: Portal Região dos Vales/Ascom Encantado