Santa Cruz do Sul Economia Política

CDL Santa Cruz do Sul aborda impactos da Reforma Tributária

CDL Santa Cruz aborda impactos da Reforma Tributária
(Casemkt)

Tema foi tratado através de uma live na última segunda-feira

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Santa Cruz do Sul (CDL Santa Cruz do Sul) realizou na última segunda-feira, dia 14 de setembro, uma transmissão online pelo Facebook, que abordou o impacto da Reforma Tributária para os Lojistas.

A Live contou com a presença do presidente da CDL Santa Cruz do Sul, Marcio Farias Martins, e do advogado tributarista, professor e presidente da Comissão de Direito Tributário da subseção local da OAB/RS, Guilherme Pedrozo da Silva.

A Reforma Tributária do Estado é um projeto proposto pelo Governo Estadual, com a ideia de reequilibrar as contas públicas e estava prevista para ser votado esta semana, mas acabou sendo transferido. E segundo o advogado Guilherme Pedrozo, a reforma se faz necessária por causa da modernização do sistema tributário, atualmente muito burocrático e que contraria a busca pela simplificação e inovação.

Ele explica que a crítica contra a reforma é grande, por se compreender que apesar de trazer inovação e reequilíbrio, a reforma acaba diretamente majorando (em partes) a carga tributária principalmente em importantes segmentos do mercado e de necessidade primária como na cesta básica, transporte público, dentre outros.

Por outro lado, destaca Pedrozo, é importante ressaltar que a Reforma acaba, de certa forma, incorporando alguns benefícios aos empresários, como por exemplo, extinguindo o imposto de fronteira, conhecido como DIFAL, bem como reduz a alíquota para transações realizadas no nosso mercado interno. Tudo isto com a intenção de facilitar e permitir maior competitividade para diversos setores do Rio Grande do Sul.

“A reforma também tem por ideia inicial redistribuir a carga tributária, com o intuito de manter a arrecadação para fazer frente aos custos da máquina pública. De outro lado, a Reforma Tributária traz um incremento oneroso no tocante ao IPVA e o ITCD, visto que ambos os tributos serão majorados, isto sem deixar de ressaltar o fim do benefício do bom motorista no tocante ao IPVA”, salienta.

 

Veja alguns pontos apontados:

Alteração do Simples Gaúcho
Através de retificação da proposta inicial, o Governo do Estado acabou por modificar na última segunda-feira uma de suas propostas iniciais, onde resolveu manter a isenção do ICMS para os optantes do Simples que tenham faturamento anual de até R$ 360 mil. De outro lado, as alíquotas para os comerciantes optantes do Simples serão majoradas. Outra questão importante na alteração da reforma proposta, foi que a tributação de 10% dos insumos agrícolas foi retirada, ou seja, mantida a desoneração já vigente.

Outras desonerações: Diferimento parcial do ICMS nas operações com Substituição Tributária (ST) e Atendimento aos pleitos do vinho (regras de diferimento parcial para redução da carga). Os setores mais onerados serão a cesta básica e o transporte público.

Prós e contras para EPP e Microempresa: Prós são o fim do Imposto de Fronteira e a alíquota interna (para operações ocorridas dentro do estado) terão percentual inferior. Em sentido contrário pode-se apontar a majoração da alíquota do ICMS para o Simples Gaúcho.

 

Assessoria de Imprensa da CDL Santa Cruz do Sul