Vale do Taquari RS Educação RSS

Cipaves inspiram cartilha pedagógica distribuída a estudantes do Vale do Taquari


Sartori foi homenageado com canção interpretada pela aluna do Colégio Evangélico Alberto Torres, de Lajeado, Ana Laura Gonçalves (Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini)

A experiência positiva das Comissões Internas de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Cipaves) nas escolas estaduais de todo o estado foi comemorada, na última quinta-feira (21), com o lançamento de uma nova cartilha produzida pela 3ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), em parceria com a Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa (CSSP), no Palácio Piratini. São cerca de cem páginas de textos educativos, atividades e jogos para serem utilizados pelos professores da Região do Vale do Taquari, a primeira coordenadoria que teve adesão completa das escolas estaduais às Cipaves.

São mais de 22,1 mil alunos e 1,7 mil professores que fazem parte da comunidade escolar de 89 instituições estaduais dos municípios que integram a 3ª CRE, completamente envolvida com as comissões que promovem a cultura da paz e da não violência nas escolas. Os 5 mil exemplares produzidos com apoio da CSSP que serão distribuídos para uso nas salas de aula.

“A gente brigou muito no começo do governo quando começamos a instaurar as Cipaves, esse foi um desafio assumido pela coordenadora Luciane Manfro, todo resultado se deve a ela. Essa não é uma questão de governo, quem agradece aqui não somos nós, mas a sociedade do Rio Grande do Sul que terá um amanhã melhor”, destacou o governador José Ivo Sartori.

“Essa é uma sementinha muito boa, que surgiu de uma experiência interessante em Caxias do Sul, e que vemos hoje acontecendo em todo o estado. A gente vê a mudança no comportamento das crianças nas escolas, está mudando a forma de se relacionar nas escolas”, afirmou a secretária do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori.

A coordenadora das Cipaves, Luciane Manfro, participou do processo criativo das cartilhas e cumprimentou a equipe da 3ª CRE pela iniciativa, que também divulga o game Baneville, criado para divertir e conscientizar os alunos de todo o estado.

Um novo brilho aos olhos

Conforme Maria Helena, foi a coordenadora da 3ª CRE, Greicy Weschenfelder, que elogiou a iniciativa ao relatar que percebeu um novo brilho nos olhos dos professores estaduais a partir das atividades desenvolvidas com as Cipaves. “Isso é algo muito importante pra nós”, reiterou a secretária.

“A gente veio aqui (no Palácio Piratini) olhar nos olhos de vocês, governador e secretários, para agradecer a oportunidade de conhecer as Cipaves. Esse é um trabalho de uma equipe de diretores e professores. A cartilha é totalmente autoral e foi feita para que os professores trabalhem nela com os alunos abordando, por exemplo, conflitos pessoais. Não é algo apenas pra olhar e guardar, é realmente para se utilizar nas salas de aula”, salientou Greicy.“Quero parabenizar o sucesso do projeto e o exemplo do que ocorreu em Caxias do Sul e ampliado para todo o estado. Temos muita coisa boa e temos que dar visibilidade a isso”, disse o deputado estadual e presidente da CSSP, Catarina Paladini.

Para o secretário da Educação, Ronald Krummenaur, as Cipaves é um dos projetos que mais o encantou desde que passou a integrar a equipe de governo. “Além de ser um projeto de paz, é um trabalho de consolidação. Não é fácil uma universalização, estar presente em quase todas as escolas, e isso é muito a cara do século 21 pelo fato de trabalhar coisas que são contemporâneas e atuais”, disse.

Ainda na audiência, o governador foi homenageado com uma canção interpretada pela aluna do ensino fundamental do Colégio Evangélico Alberto Torres, de Lajeado, Ana Laura Froner Gonçalves. Participaram da audiência o coordenador da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, Elisandro Oliveira; o promotor da Infância e Juventude em Lajeado, Sérgio Diefenbach; prefeitos, diretores e professores de escolas da região do Vale do Taquari.

Texto: Letícia Bonato
Edição: Léa Aragón/Secom