RSS Obras Destaques Lajeado

Comissão regional discute contrato de concessão da BR-386

Em audiência pública no Teatro Univates, região se mostrou contrária aos termos do contrato (Foto:  Lucas Wendt)
Em audiência pública no Teatro Univates, região se mostrou contrária aos termos do contrato (Foto: Lucas Wendt)

Nesta sexta-feira (31), lideranças regionais do Vale do Taquari discutirão, na Univates, estratégias de atuação na discussão da proposta de concessão da BR-386 à iniciativa privada. O encontro ocorre na sala 204 do Prédio 7, a partir das 9h. Participarão da reunião integrantes da comissão regional composta para analisar alternativas à minuta do edital elaborada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), assim como representantes de entidades regionais como a Câmara de Indústria e Comércio (CIC-VT), associação de vereadores (Avat), associação dos municípios (Amvat) e Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat).

Conforme a presidente do Codevat, a economista e professora da Univates Cíntia Agostini, devido às manifestações contrárias ao formato da concessão da rodovia, a ANTT, o Ministério dos Transportes e a Secretaria dos Transportes do Estado criaram um Grupo de Trabalho (GT) restrito para buscar adequar a minuta do edital às demandas locais.

A decisão final sobre dar andamento na concessão ou não da rodovia à iniciativa privada inicialmente seria tomada nesta sexta-feira. Porém, o prazo foi prorrogado por três semanas para aguardar a conclusão dos apontamentos do grupo de trabalho.

A reunião de sexta-feira, explica Cíntia, é para que lideranças do Vale possam tomar conhecimento do que é discutido pelo GT — nesta quinta-feira, 30, ocorre a primeira deliberação do grupo em Porto Alegre — e alinhar o discurso regional para levar sugestões à ANTT nas próximas reuniões no sentido de apontar uma saída para o impasse. “O contrato, do jeito que foi proposto, ninguém da região quer”, adverte Cíntia.

O contrato prevê a concessão por 30 anos, sendo possível a prorrogação por igual período. O plano prevê quatro praças de pedágio na BR-386, entre Tio Hugo e Canoas. De acordo com a minuta, a tarifa máxima de pedágio é de R$ 11,72 para cada 100 quilômetros. Os quatro pedágios da Estrada da Produção, como é conhecida a BR-386, teriam preço médio de R$ 7,97 (o mais barato em Montenegro, R$ 6,20, e o mais caro em Fazenda Vilanova, R$ 9,70).

Texto: Ascom Univates