Saúde RS RSS Bom Retiro do Sul

Comitê Intersetorial vai atuar na erradicação de focos do aedes aegypti em Bom Retiro do Sul

Agentes de endemia coletam material em busca de larvas do mosquito (Foto: Fernando Dias)

A Administração Municipal de Bom Retiro do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está em estado de alerta para a infestação do mosquito aedes aegypti, emitida pela 16ª Coordenadoria Regional de Saúde, a partir da coleta de amostras que deram resultados positivos no município.

Para atuar na erradicação dos focos de larvas e pupas do mosquito, um comitê intersetorial, envolvendo todas as secretarias municipais, foi montado para agir sobre esta situação, antes que as doenças transmitidas por este vetor, possam a vir se manifestar na população do município.

Larvas e pupas do mosquito aedes aegypti foram identificadas em três bairros do município. “Temos identificado a larva do mosquito em nosso município, mas a doença decorrente da contaminação pelo mosquito ainda não. Por isso, nossa prioridade imediata é agir para eliminar estes focos e voltarmos à condição de normalidade, ou seja, sem focos do mosquito”, disse Paulo Ricardo Marmitt, Secretário da Saúde.

Para reverter esta situação, serão mantidas as ações rotineiras. “Com o trabalho do agente de endemias e das agentes comunitárias de saúde neste monitoramento, conseguimos identificar os focos com a larva do mosquito. Agora, para ampliar o trabalho, novos agentes de endemias serão contratados e todas as propriedades e terrenos baldios, em cada quarteirão e em cada bairro do município serão vistoriados. Faremos um trabalho minucioso para eliminar todos os focos do mosquito”, ressaltou Paulo.

Para que todo este trabalho tenha êxito, o secretário pede a ajuda da população. “Precisamos que todas as pessoas nas suas casas verifiquem a existência de recipientes com água parada e os elimine. A larva do mosquito se cria aonde há água parada. Pneus, vasos, caixas d’água, folhagens, lixeiras, garrafas, piscinas, toneis, baldes, entulho, calhas de água da chuva, tudo deve ser vistoriado. Com a ajuda de todos, a proliferação do mosquito será interrompida o mais rápido possível”, salientou Paulo Marmitt.

Com a ampliação da estrutura de agentes de endemias, o combate à proliferação do mosquito da dengue se dará por ações em visitas a todas as propriedades, com as ações de Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRA) e as vistas aos Pontos Estratégicos pelo (PEs).

Para que a situação de infestação que o município passa seja revertida, é fundamental que a população contribua, seja monitorando as suas propriedades ou permitindo que os agentes de endemias e as agentes comunitárias de saúde entrem nos pátios para fazer a verificação e a coleta de material.

Quais as doenças transmitidas pelo aedes aegypti?

Como destacado, Bom Retiro do Sul não tem casos diagnosticados decorrentes de contaminação pelo mosquito aedes aegypti. Até o momento, apenas larvas e pulpas do mosquito foram encontradas.

Sem o combate a estas larvas, a população corre o risco de contrair doenças como a Dengue, Chikungunya e a Zika, que são transmitias pela picada do mosquito contaminado. O mosquito transmissor tem como características a cor preta, é menor que os mosquitos comuns e apresenta pequenos riscos brancos no dorso da cabeça e nas pernas.

Seu tempo de vida é de 30 dias e pode gerar até 1500 novos mosquitos. Seu habitat é urbano, ou seja, ele vive perto do homem e dentro dos domicílios. Ele tem hábitos diurnos e alimenta-se de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. A reprodução acontece em água limpa e parada, a partir dos ovos colocados pelas fêmeas.

Transmissão e sintomas:

O vírus é transmitido através da picada do mosquito aedes aegypti. Os sintomas são manchas na pele, dores no corpo e febre. Em casos suspeitos, evite a automedicação e procure um médico imediatamente.

O que se deve fazer para se proteger:

A melhor maneira de prevenir a dengue é impedir a reprodução do mosquito. Você pode agir de várias maneiras:

– tampar caixas d’água e colocar telas no ladrão da caixa d’água;

– manter bem fechados toneis e barris d’água;

– manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises;

– não deixar a água da chuva se acumular sobre pisos e lajes;

– trocar a água dos vãos de plantas aquáticas e lavá-los escova, água e sabão uma vez por semana;

– manter limpos e com escovação frequente os bebedouros de animais;

– jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como potes, latas e garrafas vazias;

– encher de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas;

– guardar garrafas vazias viradas para baixo e deixar pneus em abrigos;

– usar repelentes.

Texto: Ascom Bom Retiro do Sul