Cultura Lajeado

Comitiva lajeadense busca informações em Porto Alegre no Instituto Cultural Floresta

Reunião técnica no Instituto Cultural Floresta

Uma comitiva lajeadense formada pelo diretor das promotorias de Justiça da Comarca de Lajeado, Carlos Augusto Fiorioli, secretário de Segurança Pública de Lajeado, Paulo Locatelli, presidente do Instituto Cultural Ipê-Amarelo/Vale do Taquari, André Kielling, a contadora do instituto, Dalva Pohren, e o diretor operacional do instituto, Sandro Bremm, foram a Porto Alegre para se reunir com membros do Instituto Cultural Floresta nesta sexta-feira (23/08), na sede do instituto. Conforme Locatelli, o objetivo foi buscar informações para alinhamento de procedimentos contábeis, jurídicos, bem como formas de captação de recursos e esclarecimentos acerca do Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública no Rio Grande do Sul (Piseg-RS).

Posteriormente, a comitiva se reuniu com o secretário executivo do Piseg-RS, delegado Lápis, e com o tenente coronel Reolon, da secretaria de Segurança Pública, na sede da pasta estadual. Na oportunidade, o grupo alinhou os próximos passos a serem tomados pelo Instituto Cultural Ipê-Amarelo junto ao governo do Estado. “Além disso, tomamos ciência dos procedimentos cartoriais necessários para que se viabilizem as captações de recursos junto à iniciativa privada”, destacou Locatelli.

Saiba mais

O PISEG possibilita aos empresários destinar até 5% do saldo devedor de ICMS para serem aplicados em ações da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e suas vinculadas. Os valores obtidos por meio do programa poderão ser utilizados para a compra de equipamentos como veículos, armamentos, munições, capacetes, coletes balísticos, rádios comunicadores, equipamentos de rastreamento, de informática, bloqueadores de celular, câmeras e centrais de videomonitoramento.

Com a recente regulamentação do Piseg, por parte do governo estadual, foram criados mecanismos para prestação de contas quando entidades sem fins lucrativos fazem a intermediação dos repasses, como é o caso do Instituto Cultural Ipê-Amarelo/Vale do Taquari.

 

 

Texto: Rafael Scheeren Grün