Variedades Educação

Confira oito dicas de nutrição para montar uma lancheira saudável e saborosa

NO PERÍODO DE VOLTA ÀS AULAS, É IMPORTANTE MANTER A ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS EQUILIBRADA PARA O BOM CRESCIMENTO

O início do ano é marcado pela retomada da rotina, o que inclui a volta às aulas, período de preocupação para os pais que precisam organizar a lancheira dos filhos. Para a nutricionista Patrícia Ruffo, Gerente Científico da Divisão Nutricional da Abbott, variar o cardápio pode não parecer uma tarefa fácil, mas é fundamental para garantir uma alimentação equilibrada, com mais opções in natura e menos produtos industrializados, que geralmente contém alto teor de açúcar. “O ideal é acrescentar na lancheira um alimento de cada grupo, como proteína, fruta e carboidrato, para garantir uma alimentação mais saudável e, consequentemente, auxiliar no crescimento e o desenvolvimento da criança, afirma”.

De acordo com estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde), o número de crianças e adolescentes obesos em todo o mundo aumentou dez vezes nas últimas quatro décadas1. No Brasil, mais de um terço das crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso2. O consumo de produtos com alto teor de açúcar e gordura começa cedo no Brasil. Uma pesquisa revela que 60,8% das crianças com menos de dois anos de idade comem biscoitos, bolachas e bolos e que 32,3% tomam refrigerantes ou sucos artificiais3. “Uma alimentação inadequada pode não somente levar ao desenvolvimento de doenças crônicas, como a obesidade, mas também dificultar o processo de aprendizado”, alerta Patrícia.

 

Mas a realidade é que o alimento industrializado ainda compõe boa parte das lancheiras escolares, pela sua praticidade e baixo custo. Além disso, há a visão de que quantidade é sinônimo de qualidade, mas neste caso o excesso pode ser prejudicial.

 

A nutricionista traz oito dicas para ajudar os pais na hora de elaborar a lancheira das crianças:

 

  1. Pense no cardápio antecipadamente: fazer uma lista para cada dia da semana deixará a rotina mais prática, e evitará cometer excessos.
  2. No lanche da escola não pode faltar: um líquido, uma fruta, um tipo de carboidrato e um de proteína4,5.
  3. Para beber, opte pelos chás, água de coco ou sucos naturais (que podem ser colocados em recipientes térmicos para não perder os nutrientes com o passar das horas). As lancheiras térmicas também são ótimas opções para o melhor acondicionamento da comida.
  4. Deixe as frutas cortadas e descascadas. A aparência é um fator determinante para a criança ingerir determinado alimento.
  5. Faça a lancheira com a ajuda dos seus filhos e com alimentos de conhecimento deles. A lancheira da escola deve ser uma extensão da alimentação feita em casa.
  6. Os pães podem e devem entrar na lancheira escolar, mas o ideal é variar o tipo para a criança não enjoar: pão francês, de forma ou de milho são algumas opções. É preciso estar atento ao recheio de cada pãozinho. Neste sentido, os patês caseiros são opções saudáveis e nutritivas.
  7. Invista nos petiscos saudáveis: frutas desidratadas, mix de castanhas e cereais sem açúcar são opções nutritivas e saborosas. O ideal é colocar em um pote fechado ou até mesmo em um saquinho.
  8. Tenha a suplementação como uma aliada: ela é uma ótima alternativa para suprir as necessidades de nutrientes fundamentais para as crianças: ferro, cálcio, zinco, fibras e vitaminas A e D.

 

“É importante ter em mente que os hábitos adotados na infância têm grande influência na vida adulta. Uma alimentação equilibrada e saudável permite o crescimento e o desenvolvimento adequado das crianças, que se estende a médio e longo prazo”, lembra Patrícia.

 

Referências

1.OMS Brasil. Obesidade entre crianças e adolescentes aumentou dez vezes em quatro décadas, revela novo estudo do Imperial College London e da OMS. 2017. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5527:obesidade-entre-criancas-e-adolescentes-aumentou-dez-vezes-em-quatro-decadas-revela-novo-estudo-do-imperial-college-london-e-da-oms&Itemid=820

  1. IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv45419.pdf
  2. Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Ciclos de Vida Brasil e Grandes Regiões. 2013. Pg.49
  3. Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola / Departamento de Nutrologia, 3ª ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012. 148p.
  4. Weffort VRS et al. Manual do lanche saudável. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Nutrologia, 2011.