Vídeos

Conheça um novo destino no RS

A Área Técnica de Turismo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) participou de reunião para tratar do Trem Turístico da Ferrovia do Trigo nesta segunda-feira, 5 de setembro. A iniciativa procura fomentar o cenário econômico das localidades envolvidas por meio do desenvolvimento do turismo ferroviário cultural.

Estiveram presentes na reunião Técnicos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Presidente da Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales), Valnei Cover, o Diretor Executivo da Associação Gaúcha de Municípios (AGM), Rafael Fontana, Prefeitos e representantes dos Municípios participantes do roteiro turístico.

O roteiro do Trem Turístico da Ferrovia do Trigo prevê englobar sete Municípios do Rio Grande do Sul: Estrela, Colinas, Roca Sales, Muçum, Dois Lajeados, Vespasiano Corrêa e Guaporé. Os turistas que embarcarem na locomotiva poderão vivenciar a cultura, gastronomia e atrativos turísitcos típicos de cada localidade.

Vantagens dos Trens Turísticos Culturais
Grande aliado da cultura, esse tipo de roteiro turístico feito pelas ferrovias caracteriza-se pelo transporte não regular de passageiros, com o objetivo de agregar valor aos destinos turísticos. A prática contribui para a preservação da memória ferroviária e do patrimônio, fortalece atrativos culturais e produtos turísticos das cidades bem como auxilia na diversificação da oferta turística e, consequentemente, no desenvolvimento econômico das localidades envolvidas.

Cabe ressaltar que o desenvolvimento e a promoção de atrativos relacionados ao Turismo Cultural, bem como de produtos e atividades culturais, integrados a outros segmentos, contribuem para a diversificação da oferta e diminuição do período de sazonalidade turística em determinados destinos cuja oferta turística tenha como vocação principal outros segmentos de turismo, como o Turismo de Sol e Praia e o Turismo de Negócios e Eventos.

O modelo que será implantado
O trem que será usado para passeios é o modelo Litorina com capacidade para 56 passageiros e o trajeto do roteiros será de 60 quilômetros. A locomotiva tem tração própria para se movimentar, ar-condicionado e janelas panorâmicas.

As dificuldades
Durante a reunião a Amturvales solicitou celeridade no processo de autorização para implantação do empreendimento, pois o projeto já foi entregue em 2014 e até o momento não houve finalização por parte da ANTT e da concessionária que administra a ferrovia.

Tal demora causa um transtorno enorme aos Municípios. Por ainda não ser de responsabilidade legal dos Municípios, a manutenção e segurança das estações é ineficiente e o patrimônio histórico cultural está sendo sucateado e depredado.

A sociedade cobra dos Municípios a finalização do projeto. Além de já terem havido uma série de investimentos em infraestrutura, a ferrovia “cortou” a maioria das cidades mas só trouxe problemas aos habitantes e não os benefícios econômicos e sociais esperados com o desenvolvimento da atividade turística.

Com a implantação do projeto, estudos indicam uma grande possibilidade que o fluxo turístico para aquela região aumente em duas ou três vezes.

Segundo a Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais (ABOTTC), o Brasil dispõe de 22 trens com roteiros turísticos culturais em funcionamento. São eles:

Trem das Montanhas Capixabas (ES)
Trem das Águas (MG)
Trem das Cachoeiras (MG)
Trem da Serra da Mantiqueira (MG)
Trem das Montanhas Capixabas (ES)
Trem das Águas (MG)
Trem das Cachoeiras (MG)
Trem da Serra da Mantiqueira (MG)
Trem do Forró (PE)
Trem da Serra do Mar Paranaense (PR)
União da Vitória-PR/Porto União-SC (PR)
Trem do Corcovado (RJ)
Trem do Vinho (RS)
Trem das Termas (SC)
Estrada de Ferro Santa Catarina (SC)
Trem da Serra do Mar (SC)
Trem Moita Bonita (SP)
Trem Cultural dos Imigrantes (SP)
Trem Cultural dos Ingleses (SP)
Trem Caipira (SP)
Trem de Guararema (SP)
Maria Fumaça Campinas Jaguariúna (SP)

Confira os roteiros aqui

 

Texto: Ascom CNM