RS Educação RSS Teutônia

Cooperativa escolar Eccuart é case na Expointer

Eccuart participou do Encontro Nacional de Cooperativas Escolares na Expointer (Foto: Divulgação)

A Expointer abriu espaço para as cooperativas escolares de todo o Brasil na terça-feira, dia 28 de agosto. O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande Do Sul (Sescoop/RS) promoveu, na Casa da Ocergs na Expointer, o 1º Encontro Nacional das Cooperativas Escolares, evento que reuniu mais de 250 jovens das 102 cooperativas escolares do estado e contou com a presença de representantes de Tocantins, Espírito Santo e Brasília.

Um dos cases apresentados durante o evento foi o da cooperativa escolar Ecologia, Cultura e Arte (Eccuart), da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dom Pedro I, de Linha Clara, interior de Teutônia. Na oportunidade, o conselheiro fiscal suplente e aluno do 9º ano Dionisio Meurer lembrou que a Eccuart foi a primeira cooperativa escolar do município.

Meurer também destacou a importância de participar do projeto, do qual faz parte desde 2016. “É algo diferenciado da escola e que nos proporciona várias experiências”, ressaltou. Para ele, um dos aspectos mais importantes é o trabalho conjunto realizado entre cooperativa e escola. “Isso resulta em uma união entre alunos, associados e comunidade”, acrescentou.

O estudante ainda acrescentou que as cooperativas escolares contribuem no crescimento pessoal e serão importantes no aspecto profissional futuramente. “Para mim, participar do projeto Cooperativa Escolar abriu minha mente para muitas coisas, principalmente com relação ao futuro, o que vou fazer, como posso progredir e ajudar minha comunidade”, finalizou.

Durante o encontro, os participantes tiveram a oportunidade de compartilhar boas práticas dessas cooperativas e realizar conexões entre os jovens que fazem parte desse movimento. As cooperativas escolares são uma experiência com fins educativos e cujo objetivo é desenvolver atividades sociais e culturais em benefício dos associados. No caso das escolas, a entidade assume uma outra dimensão, onde os alunos aprendem a importância do compartilhar como atitude para tudo que fizerem de agora em diante.

O idealizador do projeto, Everaldo Marini, lembrou que o cooperativismo escolar existe desde a década de 1930. “Podemos citar uma extensa lista de benefícios para os estudantes e comunidades sobre os resultados do cooperativismo nas escolas, como a melhora do desempenho escolar, financiamento de viagem de estudos, que de outra forma os estudantes não teriam como fazer, arrecadação de verba para o aparelhamento ou qualquer outra necessidade das escolas; sentimento de agregar, compartilhar é algo que desenvolve em quem participa do cooperativismo – e o que dirá então de pessoas tão jovens, que já estão engajadas em projetos como hoje dá para perceber aqui neste evento, onde a troca de experiências é um fator bastante forte e que fica para o resto da vida”, destacou.

O evento ainda contou com palestra com o professor Max Haetinger. Ele destacou os diferenciais dos jovens de sucesso e a importância do trabalho em grupo. “Hoje precisamos ter boas redes de relacionamento e vocês sabem o que é isso?”, instigou o palestrante. Além disso, evidenciou as principais necessidades desses jovens: acreditar, encantar e acreditar. “O mundo é digital, mas as pessoas continuam querendo ser bem atendidas. Precisamos tocar o coração das pessoas de alguma maneira”, explicou.

O secretário de Educação de Teutônia, Paulo Brust, acompanhou o grupo de alunos e professores das cooperativas escolares da rede municipal de ensino no evento. “Nos orgulhamos de termos em Teutônia as nossas cooperativas escolares. Elas exercem um trabalho fundamental nos educandários, de formação de lideranças, bem como fomentam o coletivo, a união de esforços para alcançar um objetivo”, enalteceu.

Texto: Ascom Teutônia