Venâncio Aires Social Investimento

Corsan investirá mais de R$ 1 milhão na estação de Tratamento de Esgoto

Convênio e termo aditivo foram assinados nesta terça-feira, 5, pelo Executivo e Corsan para trabalhos na Capital do Chimarrão

A ordem de serviço para melhorias na Estação de Tratamento de Esgoto e na Estação de Bombeamento de Água da Corsan em Venâncio Aires foi assinada nesta terça-feira, 5, na Sala de Reuniões da Prefeitura. Além disso, o encontro entre Administração Municipal e representantes da estatal ainda contou com a assinatura de um convênio entre as duas partes que prevê a repavimentação de cerca de um quilômetro nas ruas Cláudio Reckziegel e Emílio Michels, onde foram feitas intervenções pela Corsan e que não ficaram com um resultado satisfatório. E, ainda, foi assinado um termo aditivo no contrato com o Fundo Municipal de Gestão Compartilhada, de R$ 250 mil, que prevê a substituição de redes de água nos dez bairros contemplados com o programa Mobilidade Urbana, cujo investimento de R$ 20 milhões possibilitará a pavimentação de 67 quadras.

O investimento nas obras da elevatória de esgoto bruto é de R$ 1 milhão, que serão utilizados em infraestrutura da ETE, como cercamento, ajardinamento, na parte de segurança e prevenção de acidentes dos trabalhadores; além de melhorias tecnológicas, automação de equipamentos e do processo do tratamento de esgoto. “A ETE ainda não está dando o resultado que gostaríamos e um dos motivos é que ainda não se conseguiu finalizar a rede que vai levar o esgoto para ser tratado lá. Então agora teremos uma boa estrutura disponível e precisa ser utilizada”, destacou o Diretor de Expansão da Corsan, Júlio Hofer. Segundo ele, atualmente são poucas mais de 20 economias ligadas enquanto a capacidade é para mil. “Hoje são mais de R$ 10 milhões de obras já implantadas e mais de R$ 15 milhões em obras contratadas e em execução. De 2011 para cá, saímos de uma situação de ter esgoto tratado no município com a possibilidade de em sete anos chegarmos a ter mais de 40% de cobertura de esgotamento sanitário”.

 

Abastecimento na Cidade Alta

Durante o encontro, o Executivo também questionou os representantes da estatal sobre a recorrente falta de água no bairro Cidade Alta. O Superintendente Regional da Corsan, José Epstein, garantiu a resolutividade do problema até o fim deste ano. “Vamos ampliar a subestação e do bombeamento em dois poços artesianos e melhorar a energia para as bombas e adutoras, para equacionar esse problema na região alta da cidade. A ordem de serviços já foi emitida e esperamos concluir em até o fim deste mês ou no máximo metade de dezembro”.

 

Melhorias nas ruas

Os transtornos causados pelas obras de troca de redes de água e implantação das redes de esgoto nas ruas urbanas da Capital do Chimarrão mais uma vez pautaram a reunião entre a Administração Municipal e a Corsan. “Há cerca de 90 dias tivemos que frear a execução de novas obras por parte da Corsan e exigir que as substituições de redes de água fossem cessadas. Porque entendemos que tinha que existir um cronograma mais ajustado, não pode uma rua ficar mais de dois meses em manutenção. Ainda mais nas ruas centrais. Então, precisamos de um prazo de no máximo 30 dias e isso vamos cobrar a rigor. Além disso, não permitimos que mais de 12 quadras estejam abertas por conta das obras ao mesmo tempo. Só vamos liberar a 13ª quando estiver concluída a primeira.” O Gestor Municipal também exigiu que em dias de chuva o material seja reposto nas valas abertas e que em dias de seca a poeira seja diminuída com água. “E a repavimentação vamos acompanhar de perto. Pois dos 17 trechos feitos até aqui, ainda estou em inconformidade com vários”, enfatizou Wickert.

O Diretor de Expansão da Corsan, Júlio Hofer, destacou que o Executivo tem cobrado, com propriedade, melhorias nas vias em que a Estatal tem atuado. “Sabemos que obras sempre causam transtornos, quando chove é um barro e dá buracos e quando está seco demais dá poeira; e isso já nos foi apresentado pelo Executivo, que nos exigiu então um melhor planejamento para a execução das mesmas e causar o menor impacto possível e este é o nosso desafio diário e nossa obrigação”. Hofer explicou que são feitas valas de quatro a cinco metros de profundidade onde são colocados os encanamentos para o esgoto, depois é necessário um período de cerca de 30 dias para o mínimo de compactação da terra, e somente na sequência fazer o calçamento novamente do local.

Além das melhorias dos locais em obras, a Corsan ainda fez o anúncio de que mais dez quilômetros de rede de água serão substituídos na cidade, totalizando 27 quilômetros de tubulações renovadas, a partir de um investimento de cerca de R$ 13 milhões oriundos da própria Corsan, recursos próprios do município e também de um financiamento da União. “Embora cerca de 30 pontos necessitem de reparos, a extensão da rede já feita é muito maior. Mas claro precisamos atender a estes problemas. E é preciso ter em mente um padrão de qualidade. O capricho não custa caro, o que custa caro é a falta dele”, acrescentou Hofer.

Segundo o Prefeito, para os próximos dias é aguardada uma visita do Diretor-Presidente da Corsan, Roberto Barbuti, para discutir Parcerias Público-Privado (PPPs), novas repavimentações e o adiantamento de obras em ruas que ficaram irregulares por conta dos trabalhos da estatal no município.

 

 

 

Texto e foto: Vanessa Behling/AI PMVA
Assessoria de Imprensa de Venâncio Aires