Brasil RSS Destaques Geral

Desemprego no Brasil atinge 11,8 milhões de pessoas, taxa sobe para 11,6%

436 mil pessoas perderam seus empregos, de um trimestre para o outro
436 mil pessoas perderam seus empregos de um trimestre para o outro (Foto: Divulgação)

O desemprego é uma realidade para 11,8 milhões de pessoas no Brasil. Segundo mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad Contínua), a taxa de desempregado foi 11,6% no trimestre de maio, junho e julho. O levantamento divulgado na terça-feira (30), aponta que no mesmo período de 2015 a taxa era de 8,6%. O quadro é de aumento de 3,0% em relação ao ano passado e de 0,4% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

A Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que 436 mil pessoas perderam seus empregos, de um trimestre para o outro. Em relação ao mesmo trimestre de 2015, a quantidade de brasileiros na situação de desemprego cresceu 37,4%, e somou 3,2 milhões a mais.

Em relação ao número de empregados com carteira assinada, a Pnad Contínua sinaliza que são 34,3 milhões, e a taxa não apresentou variação estatisticamente significativa em comparação com trimestre de fevereiro a abril de 2016. Mas, na comparação com o trimestre de maio a julho de 2015, houve redução de 3,9% – perda de 1,4 milhão de pessoas com carteira assinada.

Cenário
Os dados também apontam que a população empregada no trimestre encerrado em julho era de 90,5 milhões de pessoas, e 146 mil postos de trabalho foram fechados entre um período e outro.

O rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos ficou em R$ 1.985, e registrou estabilidade frente ao trimestre de fevereiro a abril de 2016, em que a média estava em R$ 1.997. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior – quando o rendimento estava na faixa de R$ 2.048, a redução foi de 3,0%.

Texto: Ascom CNM