Polícia Lajeado

DTI informatiza Presídio Estadual Feminino de Lajeado

sireneNa última semana, servidores da Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da Susepe estiveram no Presídio Estadual Feminino de Lajeado para entregar computadores e implantar o sistema INFOPEN RS – Biometria na casa prisional, a fim de informatizar 100% do estabelecimento. Na ocasião, foram entregues e instalados oito computadores, além do kit INFOPEN RS – Biometria, composto por um coletor biométrico e uma webcam.

O INFOPEN RS é o sistema oficial da Susepe para controlar as atividades de controle legal. Ele é desenvolvido pela PROCERGS e atualmente funciona em todos os estabelecimentos prisionais do Estado. Além de permitir a emissão de diversos relatórios, o INFOPEN RS integra-se com o banco de dados do Instituto Geral de Perícias (IGP), por meio do IRS, proporcionando assim maior segurança na identificação de presos e visitas.

O responsável pelo sistema INFOPEN RS e delegado da 2ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR), Anderson Prochnow, destaca essa integração e agilidade nas informações. “Atualmente a vida carcerária de qualquer indivíduo que possua cadastro no INFOPEN RS pode ser acessada instantaneamente, assim como os dados de seus visitantes”, relata.

Segundo o responsável pela DTI, Renato de Menezes Mendonça, restam apenas 18 estabelecimentos prisionais para atingir a meta dos 100% na identificação biométrica por meio do INFOPEN RS. “Neste ano nossa Divisão tem como objetivo instalar o sistema em mais alguns presídios onde teremos o apoio do Departamento de Engenharia Prisional para novos projetos de redes estruturadas”, comenta.

Outra meta da DTI para 2017 é digitalizar os documentos lançados no sistema e anexá-los ao histórico do preso. O objetivo é evitar o uso do papel.

Essa medida já foi priorizada pelo chefe da Divisão de Controle Legal (DCL), Vilnei Correia, o qual entende também ser uma demanda de grande importância para a instituição. “Além disso, com a implantação do kit INFOPEN RS no Presídio Estadual Feminino de Lajeado, uma etapa importante foi vencida, permitindo que o novo estabelecimento inicie suas atividades no padrão ideal de ferramentas de trabalho. Mais de 80% das casas prisionais já estão com o sistema em pleno funcionamento, percentual que equivale a cerca de 95% da massa carcerária do Estado. O importante trabalho que vem sendo feito pela DTI deve ser destacado, bem como todos os esforços que serão feitos para que tenhamos 100% das casas com os leitores biométricos instalados”, destacou.

Infraestrutura

A obra de infraestrutura da rede lógica e elétrica foi realizada pela PROCERGS, com um custo total de R$ 54.591,66. As casas prisionais estruturadas com a rede padrão PROCERGS não poderão sofrer alterações físicas (lógicas e elétricas), sendo para o uso exclusivo de computadores e impressoras homologados pela instituição.

Texto: Ascom Susepe