Colinas Destaques RSS Rural

Duas agroindústrias familiares são inauguradas em Colinas

agroindústrias_colinas (2)
Agroindústrias AJP e Panela de Ferro da Irene foram inauguradas (Foto: Divulgação)

Como parte da programação da primeira edição da Colinasfest – evento que marca os 25 anos de emancipação de Colinas – foram realizadas, na tarde de sexta-feira (17), duas inaugurações de agroindústrias familiares do município. Com a presença de diversas autoridades, entre elas a diretora administrativa da Emater/RS, Silvana Dalmás, foi entregue às agroindústrias AJP, que produz mel, e Panela de Ferro da Irene, que elabora pães, cucas, bolos e biscoitos, o certificado que torna, oficialmente, os empreendimentos aptos nas esferas financeira, sanitária e ambiental, para a realização de suas atividades.

Localizada na Linha 31 de outubro, a AJP leva nas iniciais, o nome de Aírton José Petter. Feliz com a conquista, Petter relembrou a infância onde, ao lado do avô, aprendeu a gostar das abelhas e, consequentemente, da produção de mel. Assim, não foi por acaso o caminho trilhado até o hobby se transformar em uma das principais fontes de renda para a família. “Hoje, tenho mais de 250 colmeias de abelhas africanas espalhadas pela região, sendo cerca de 160 somente em Colinas”, ressalta o produtor, que garante colher uma média de cerca de 15 quilos de mel por caixa. “Se não chover tanto”, sorri.

Satisfeito não apenas com o potencial do negócio, já que cada quilo de mel é vendido por cerca de R$ 20, Petter também se diz contente por contribuir com o meio ambiente. Assim, a ideia de ampliar ainda mais a produção – que hoje é comercializada no mercado local e por meio de programas, como o Nacional de Aquisição de Alimentos (Pnae) – também tem uma motivação mais “nobre”, para além do simples pensamento econômico. Não por acaso, a paixão se estende para os filhos Luan e Eduardo, chegando até a esposa Inês. “A ideia é que eles continuem este empreendimento”, projeta o produtor.

Já a história da agroindústria Panela de Ferro da Irene, da localidade de Linha Roncadorzinho, também tem a ver com o passado, quando, ainda jovem, a proprietária do empreendimento Irene Gattermann aprendeu a fabricar os produtos que, na atualidade, não são capazes de atender a grande demanda. “Me dá farinha que eu transformo em põ ou bolo”, gargalha a dona Irene, ao ser perguntada sobre o que produz na recém inaugurada agroindústria. Num misto de emoção e serenidade, dona Irene se disse feliz pelo sonho realizado, mas não se esqueceu de mencionar a burocracia para que a conquista fosse finalmente alcançada.

Assim como no caso de Airton, dona Irene valorizou o apoio da equipe municipal da Emater/RS-Ascar na consolidação do empreendimento, uma vez que a entidade é o braço operacional do programa estadual de Agroindústria Familiar da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS) do Governo do Estado. “Nessas horas é importante lembrar aqueles que nos ajudaram”, salientou. “Para mim, poder finalmente sair da informalidade, atuando de forma correta e dentro do que diz a legislação, é motivo de grande alegria”, enfatizou.

Ambos os empreendimentos receberam R$ 12.500 do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper), com bônus adimplência de 80%, como parte do resultado de processos de Participação Popular e Cidadã (PPC), realizados recentemente. Por meio dos recursos levantados, foi possível a aquisição de equipamentos como a descristalizadora, o decantador e a embaladora, no caso da AJP, e iniciar a construção da agroindústria, para a Panela de Ferro da Irene. “Esse tipo de ajudinha do Governo é fundamental para nos motivar”, lembrou Irene.

Representando o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS), Tarcísio Minetto, o diretor de Agricultura Familiar e Cooperativismo, José Alexandre Rodrigues, valorizou a implantação de agroindústrias familiares classificando-as como o “projeto completo” – por envolver parcerias entre as mais variadas entidades de diversas esferas. “É um somatório de ações, com o bom uso de recursos, que nos deixa felizes com o resultado”, afirmou. Em sua fala, desejou vida longa aos empreendedores. “Que vocês possam servir de referência para outros agricultores”, projetou.

Já a diretora administrativa da Emater/RS, Silvana Dalmás, parabenizou os proprietários de agroindústria pelo espírito empreendedor. “É dessa forma que vemos a política pública chegar diretamente aos produtores”, salientou, lembrando o fato de a Emater/RS-Ascar, como política de Estado, também fazer parte deste contexto, por meio do assessoramento e acompanhamento aos agricultores. “E sabemos que os desafios não se encerram por aqui, sendo importante a gestão do negócio, para que haja saúde financeira e, consequentemente, qualidade de vida e também sucessão no meio rural”, observou.

A inauguração das agroindústrias contou ainda com a presença de outras autoridades, como o prefeito de Colinas Sandro Hermann, a vice-prefeita Regina Hermann, o coordenador regional da SDR/RS, Atílio Puntel, os gerentes regional e adjunto da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli e Carlos Lagemann, além do supervisor da entidade, Álvaro Mallmann e do assistente técnico administrativo na área de Organização Econômica, Alano Tonin, além de vereadores, secretários, conselheiros, soberanas da festa, amigos, familiares e outros representantes de lideranças regionais.

Texto: Ascom Emater