RS Encantado RSS Rural - Agricultura

Em busca de modelos para pavilhões, Dália busca expertise no Paraná

Delegação da Dália em visita a uma das granjas no Paraná (Foto: Divulgação)

A busca por modelos inovadores e modernos na avicultura de corte fez com que uma comitiva da Dália Alimentos visitasse, nos dias 16 e 17 de maio, o estado do Paraná. Durante dois dias, Direção da cooperativa e presidentes dos núcleos de produção de frango de corte conheceram granjas que servirão de modelo e inspiração para o América Programa Avícola, projeto que a Dália está estruturando desde o ano de 2016 e com previsão de início das atividades para 2019.

A comitiva foi liderada pelo presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, que esteve acompanhado pelo gerente da Divisão Produção Agropecuária, Igor Weingartner e pelo técnico responsável pelo projeto frango de corte Vanderlei Michelon. Representando cada núcleo constituíram o grupo, o presidente do grupo de Encantado, Gilberto Zanatta; de Vespasiano Corrêa, Marcos Zílio; de Mato Leitão, João Carlos Machry; de Relvado, Flávio Villa; de Guaporé, Lidenor Giliotto; de Anta Gorda, Silvano Berté; de Arroio do Meio, Rubino Rahmeier; de Venâncio Aires, Lauri Schwendler e o representante de Progresso, Nestor Gotardi.

O cronograma contou com visita ao Grupo Vibra, em Itapejara do Oeste, onde a comitiva foi recepcionada pelo coordenador de expansão da Vibra, o médico veterinário Cassius Ramos, que falou sobre a empresa integradora. Somente nesta unidade são abatidos 250 mil frangos/dia. O restante, 260 mil aves, é abatido em outros núcleos do Grupo Vibra espalhados pelo Paraná. Além da empresa, foram visitadas as granjas dos integrados Ari Antônio Kirts e Sabino Bess, oportunidade em que foi possível visualizar o sistema dos aviários, construídos no padrão Dark House e com paredes em isopainel, mesmo modelo que será adotado pela Dália Alimentos nos nove núcleos que serão edificados e com previsão de conclusão até 2019.

O Grupo Vibra atua em dois segmentos diretamente ligados por sua cadeia produtiva: a multiplicação genética de matrizes de aves com a marca Agrogen/Cobb e a produção e comercialização de carne de frango com as marcas nat. e Ávia.

Também foram visitadas as granjas de Adauri Perozza e Claudiomar De Carli, integrados da cooperativa Coasul, na cidade de São João, ainda no Paraná, e a granja de Vitor Zanella, integrado da BRF no município gaúcho de Nova Alvorada.

Na avaliação de Piccinini, a viagem foi necessária e esclarecedora, pois o projeto avícola da Dália Alimentos terá diferenciais competitivos que visarão à busca pela rentabilidade numa atividade de alta competitividade nacional e internacional. “Sanamos diversas dúvidas em relação a equipamentos utilizados e às plantas, modelo de construção, além de aspectos ligados à biossegurança”, ressaltou o presidente, agradecendo a receptividade dos integradores e também dos representantes das empresas e cooperativas visitadas.

Saiba mais:

O América Programa Avícola da Dália Alimentos é dividido em quatro etapas: matrizeiro, incubatório, núcleos de produção de frango de corte e complexo avícola.

– MATRIZEIRO: Será edificado no município de Vale Verde, na região do Vale do Rio Pardo. O investimento será de R$ 20 milhões e terá a participação de 37 funcionários da Dália, além da cota da própria cooperativa. Neste empreendimento serão produzidos os ovos férteis. O matrizeiro compreenderá duas granjas matriz/recria com capacidade para 30 mil matrizes cada e quatro granjas matrizes/postura com capacidade para 29 mil matrizes cada.

– INCUBATÓRIO: Será construído no município de Mato Leitão, no Vale do Rio Pardo. O empreendimento produzirá 1,2 milhão de pintos/mês, com investimento de R$ 12 milhões.

– NÚCLEOS DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE: Serão nove núcleos para terminação de frango de corte. Oito áreas já estão consolidadas para implantação dos condomínios, sendo definidos os municípios de Encantado, que terá duas áreas, Anta Gorda, Marques de Souza, Mato Leitão, Venâncio Aires, Vespasiano Corrêa e Cruzeiro do Sul. Cada núcleo terá oito pavilhões com capacidade para alojar 275 mil aves/lote. O investimento em cada condomínio será de aproximadamente R$ 8 milhões e participam desta etapa do projeto em torno de 180 associados, mais a cota da cooperativa em cada um dos núcleos.

– COMPLEXO AVÍCOLA: Está em fase de construção no município de Arroio do Meio, na localidade de Palmas, no Vale do Taquari. Compreende um frigorífico de aves, uma fábrica de farinhas e uma fábrica de rações. O complexo demandará investimento de R$ 95 milhões por parte da Dália Alimentos. O abate inicial será de 55 mil aves/dia com capacidade posterior de abate para até 110 mil aves/dia.

Texto: Ascom Dália Alimentos