Coronavírus Vale do Taquari Rural - Agricultura

Emater/RS-Ascar orientará feiras de agricultores a adotar recomendações da CPOrg/RS

O que ocorre daqui pra frente com as feiras de agricultores tem sido uma das principais dúvidas dos consumidores em tempos de coronavírus. E ainda que as informações mudem o tempo todo com o avanço da doença, no momento, a orientação da Emater/RS-Ascar é para que os produtores adotem as recomendações da Comissão Estadual de Produção Orgânica do Rio Grande do Sul (CPOrg/RS), órgão ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Governo Federal.

 

Emitido na última sexta-feira (20/03), o documento visa a viabilizar a continuidade das feiras, com ações que ampliam os cuidados de higiene e de manuseio e que, consequentemente, previnam o contágio e a propagação do novo coronavírus. “A intenção é a de que esses espaços de abastecimento não sejam interrompidos, uma vez que se constituem em importantes canais de comercialização de alimentos de qualidade”, salienta o assistente técnico regional da área de Abastecimento da Emater/RS-Ascar, Lauro Bernardi.

 

Entre as medidas que devem ser adotadas está o afastamento imediato de agricultores que integrem grupos de risco ou que apresentem sintomas, ampliação da assepsia pessoal antes do carregamento para a feira, bem como dos veículos, redução do número de produtores envolvidos em cada banca e higienização permanente de tudo com sabão e água corrente ou álcool gel a 70% – inclusive na própria feira, havendo a possibilidade. “Outras ações básicas, como suspensão das degustações, embalamento prévio de produtos e redesenho do espaço, com aumento das distâncias, também devem ser adotadas”, pondera Bernardi.

 

Em Lajeado são seis feiras de agricultores que ocorrem periodicamente – sendo as da Univates e do Shopping Lajeado já suspensas, de acordo com medidas de segurança que buscam evitar aglomerações. “As demais, a princípio, devem ocorrer em sistema de revezamento, também com o objetivo de evitar multidões”, observa o produtor Mailor Purper, da Horta Purper, do bairro São Bento, que comercializa frutas, verduras e hortaliças, além de ovos, queijos, aipim e outros. “A feira que ocorre no centro da cidade, por exemplo, nesta semana está suspensa”, salienta.

 

Já a feira da Praça do Papai Noel e as do São Cristóvão – nas quartas e nos sábados de manhã -, em Lajeado, devem ocorrer em um modelo que respeite as recomendações do CPOrg. “A gente tem adotado todas as medidas possíveis para evitar qualquer tipo de transmissão, higienizando tudo o tempo inteiro, respeitando distâncias na hora de cultivar e comercializar e afastando produtores que possam estar em grupos de risco”, explica o agricultor. “Já a feira de sexta-feira, no centro, deve ocorrer, mas com controle de número de entrada de compradores, com entrada em um portão e saída por outra”, completa. “As orientações também envolvem os consumidores, que devem ter consciência, aguardando com calma e cuidando um do outro”, completa Bernardi.

 

Sobre as feiras, Purper lembra que são importantes espaços para escoamento da produção e de que a princípio elas não param, especialmente por serem espaços abertos. “Mas como alternativa há a compra online, que é uma alternativa oferecida aos consumidores”, frisa. Mas o agricultor lembra o público de que é preciso ter paciência nestas horas, já que a demanda está alta pelo fato de que as pessoas têm evitado sair de casa. No caso da família Purper, o site que oferece a possibilidade de compra com cartão e entrega na cidade é o www.hortapurper.com.br.

 

Decreto da Prefeitura

 

A autorização para o funcionamento das feiras de Lajeado dialoga com o decreto publicado pela Prefeitura de Lajeado na última quinta-feira (19/03) e que visa a restringir ainda mais a movimentação de pessoas na cidade. O decreto 11.490/2020 suspende atividades não essenciais em todo o município por 10 dias desde a última sexta-feira (20/03) e orienta a redução das atividades para os demais estabelecimentos. O decreto completo disponível no site www.lajeado.rs.gov.br suspende cinemas, casas noturnas, cultos e missas, palestras, centros comerciais e jogos esportivos. A autorização ou não das feiras, em cada município, deverá respeitar decretos dos órgãos oficiais.

 

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald