Rural - Agricultura Teutônia

Encontro regional em Teutônia discute Segurança e Soberania Alimentar

Um grupo de extensionistas dos 55 municípios que integram o Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado esteve reunido nesta terça-feira (24/09), no miniauditório do Colégio Teutônia, em Teutônia, para o segundo módulo do Encontro Regional de Segurança e Soberania Alimentar.  Organizada pelo Grupo de Trabalho (GT) que discute o tema, a atividade teve o objetivo de incentivar, motivar os agentes que prestam o serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters), ressignificando as suas responsabilidades. Na ocasião, também foram compartilhadas experiências exitosas sobre segurança e soberania alimentar.

Na abertura do encontro, a assistente técnica regional Social da Emater/RS-Ascar, Elizangela Teixeira, fez um resgate das ações realizadas pelo GT na busca por apoiar estratégias para a promoção de uma alimentação de qualidade para as famílias envolvidas. Em uma série de webconferências anteriores, os extensionsitas tomaram por base alguns eixos, como, acesso e qualidade dos alimentos e educação e cidadania alimentar. “A intenção foi a de refletir sobre as ações cotidianas e sobre a maneira que a mensagem está chegando para o público assistido”, considerou Elizangela.

Nesse contexto, ações diversas ligadas à garantia do abastecimento e a comercialização do excedente, ao estímulo para a qualificação de hortas e pomares domésticos, ao incentivo para o intercâmbio de mudas e de sementes crioulas e a divulgação de medidas para redução do uso de agrotóxicos, entre outras, tem sido trabalhadas no campo, pelos extensionistas. “Na realidade trata-se de um amplo trabalho de divulgação de produtos orgânicos, de educação dos atores envolvidos e de visibilidade para políticas públicas, como é o caso dos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Nacional de Alimentação Escolar (Pnae)”, salientou.

Como parte da programação, representantes dos municípios de Arvorezinha, Lajeado, Santa Clara do Sul, Imigrante, Capela de Santana, Montenegro, Dois Lajeados, Encantado e do próprio GT apresentaram relatos de experiências em temas variados, como, resgate de sementes crioulas, organização de espaços de comercialização, capacitação para a produção limpa e fomento ao cultivo para o autoconsumo, entre outros. Extensionista da Emater/RS-Ascar de Dois Lajeados, Jorge Capellaro fez um relato sobre o fomento a avicultura colonial como estratégia de segurança alimentar para as famílias rurais.

“Trata-se de um trabalho que começou há 15 anos e que visava organizar e melhorar a produção, para a entrega de aves crioulas que não fossem apenas ‘perna e pescoço’”, explicou Capellaro. Por meio de diagnósticos, os extensionistas perceberam que não havia cuidado com a genética das matrizes, havendo também descontrole da população de animais e produção de carne escura e dura e de ovos pequenos. “A situação mudou com a introdução de raças de galinha caipira melhoradas, rústicas”, explicou o técnico. “Assim, as galinhas dobraram seu peso final, além de colocar ovos maiores”, garantiu.

A atividade, que foi acompanhada pelos gerentes regional e adjunto da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli e Carlos Lagemann, foi encerrada com trabalho em grupo, que visou planejar as próximas atividades do coletivo. O encontro também contou com a participação dos assistentes técnicos regionais  da Emater/RS-Ascar em Sistema de Produção Vegetal Lauro Bernardi , de Manejo de Recursos Naturais, Marcos Schäfer, e de Sistema de Produção Animal, Martin Schmachtenberg. Para Brandoli, a ação foi uma oportunidade para qualificar o trabalho de extensão dentro de uma das áreas que é prioritária na região.

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald