Cultura Educação Estrela

Escola de Estrela valoriza cultura afro-brasileira

Projeto desenvolvido há mais de dois meses culminou nesta semana com exposição de trabalhos e uma série de atividades

Projeto interdisciplinar realizado desde setembro em educandário municipal culmina com semana especial de ações

O Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro em todo o País, é marcado por uma série de ações, homenagens e atividades. Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Odilo Afonso Thomé a data culminou com o projeto interdisciplinar “Beleza Negra e suas nuances”, que vem sendo desenvolvido desde setembro e que teve seu auge nesta semana, com respectiva exposição de trabalhos realizados pelos estudantes e uma série de atividades culturais, intitulada com o mesmo nome.

Segundo a direção escolar, o trabalho versa sobre as matrizes e o legado histórico, a atual presença e a importância futura da cultura afro-brasileira na sociedade nacional. “O projeto é interdisciplinar e vem sendo desenvolvido pelos nossos profissionais de educação com todas as turmas, do primeiro ao nono ano do ensino fundamental”, explica a diretora Letícia da Silva dos Santos. “O objetivo é proporcionar uma valorização da cultura afro-brasileira no reconhecimento das heranças que a etnia trouxe para nossa sociedade, mais presente do que muitos imaginam”, frisa.

Em ação, o projeto objetivou a valorização da beleza negra, com destaque e cuidado com cabelos, penteados, maquiagens, pele, que marcam o exotismo da cultura, e a busca pela autoestima. Também artesanatos, presentes como na confecção de bonecas; e outras áreas como moda e culinária. Os alunos presenciaram ainda palestra com professora Adriana da Silva Vidal, da Secretaria de Cultura e Turismo de Estrela, também responsável por oficina de danças na escola ao lado de Jeferson Luis Vidal, do projeto Zumba Mix – mistura de gênero. Eles que nesta quinta-feira, a partir das 14h, irão se apresentar na Secultur para a secretária estadual de Cultura, Beatriz Araujo, que estará em Estrela. Os alunos ainda assistiram a um circuito de palestras, com temas pontuais, além de sessões de cinema na escola.

 

Bonecas Abayomi: encontro precioso com a tradição africana
Confecção bonecas abayomi

Uma oficina de confecção das bonecas Abayomi foi realizada na tarde desta quarta-feira (20.11) no Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann, em Estrela. No Dia da Consciência Negra, que faz referência à data da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares que lutou para preservar o modo de vida dos africanos que conseguiam fugir da escravidão, crianças de escolas do município aprenderam a fazer as bonecas, que significam “encontro precioso” em iorubá, uma das maiores etnias do continente africano. 

As bonecas, conforme conta a professora e turismóloga Adriana da Silva Vidal, que ministrou a oficina, eram feitas pelas mães para seus filhos quando os escravos eram trazidos de navio para o Brasil. “As crianças ficavam tristes e impacientes, e as mães tiveram a ideia de, usando retalhos de seus vestidos, confeccionar bonecas para acalentar as crianças”, diz. Elas são feitas sem costura, apenas com nós ou tranças. De acordo com Adriana, quando chegavam no Brasil as famílias eram separadas e as mães pediam aos filhos que escondessem as bonecas, o que era uma forma de continuarem juntas e serviam também como amuleto de proteção. “A mãe, quando entregava uma boneca, estava oferecendo o melhor de si”, relata Adriana.
A professora ressalta ainda que esta era também uma forma de identificar as famílias e suas tribos. Depois que os escravos ganhavam a liberdade, eles buscavam familiares ou membros das aldeias de onde tinham vindo por meio do tecido usado nas bonecas. Para Adriana, a oficina, realizada no dia que marca a luta pela preservação do modo de vida dos negros, é a possibilidade de mostrar às novas gerações a força deste povo, que mesmo diante das dificuldades não perdia a doçura e a esperança. “O intuito de confeccionar as bonecas é oferecê-las para outras pessoas: estou dando o melhor de mim”, enfatiza.

Texto: Rodrigo Angeli e Paulo Ricardo Schneider
Assessoria de Imprensa Prefeitura de Estrela