Meio Ambiente RS Educação Os Vales em Notícia Lajeado

Escola Nova Viena recebe biodigestor que produz biogás e fertilizante

Nesta quarta-feira, 26/06, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Nova Viena, localizada no bairro Olarias, foi a primeira escola municipal a receber um biodigestor compacto. Com recursos próprios, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) investiu R$5,9 mil na compra do equipamento, que transforma resíduos orgânicos em gás de cozinha e fertilizante líquido. A instalação e ativação do biodigestor contou com a presença da diretora da escola, Elisângela Zanatta, do titular da Sema, Luís André Benoitt, técnicos e alunos do 6º ano. O biodigestor foi instalado pela empresa HomeBiogas, com fábrica em Israel.

O representante da HomeBiogas e engenheiro de aquicultura, Carlos Emílio Vieira da Silva, com o auxílio das crianças, colocaram mil litros de água e esterco para ativar o equipamento. Conforme o engenheiro, em até quatro semanas, o sistema deverá fornecer substrato para as bactérias se fixarem e produzirem o biogás e o fertilizante.

Para Carlos, um dos principais objetivos do biodigestor é também servir como uma ferramenta educacional. “Com o biodigestor é possível ensinar física, química, biologia, matemática e educação ambiental. Quando se mistura o lixo orgânico com o seco, torna-se inviável a reciclagem de certos materiais. Temos que ter noção que o lixo também é matéria-prima. O biodigestor gera uma cadeia de benefícios”, disse.

O biodigestor pode ser alimentado com todo tipo de resíduo orgânico, como resto de comida, óleo e fezes de animais. O equipamento transforma esses resíduos em gás de cozinha, que abastecerá o fogão da própria escola, e ainda, fornecerá um adubo líquido que poderá ser utilizado na horta da escola.

Conforme a diretora Elisângela, o sistema é uma nova maneira de reaproveitamento dos resíduos orgânicos, que estavam sendo destinados à composteira da escola até o momento. Ainda, vem para contribuir nos projetos de sustentabilidade que a escola vem realizando, como a horta, a composteira, a fabricação do próprio sabão, recolhimento de tampas e óleo de cozinha de toda a comunidade para o descarte correto, e o reaproveitamento de água. Agora, o óleo recolhido pela escola também poderá ser transformado pelo equipamento. A diretora Elisângela comemora. “Toda a comunidade escolar está muito orgulhosa de ter sido a primeira escola a ser contemplada. São atitudes como essa que vão fazer a diferença na escola e na vida de cada aluno”, ressalta Elisângela.

A ideia da Sema é instalar o biodigestor em outras escola municipais de Lajeado.

O biodigestor

O biodigestor, uma alternativa ao modelo tradicional, é um sistema de decomposição anaeróbia que não atrai vetores. Conforme o engenheiro, a utilização do esterco para a ativação inicial se deve por fornecer substrato para as bactérias se fixarem no equipamento. Após a inoculação das bactérias, que leva cerca de um mês, os microrganismos presentes dentro do equipamento realização a decomposição dos rejeitos, transformando-os em biogás e adubo liquido.

O biodigestor tem capacidade para produzir até três horas diárias de gás de cozinha, usando como combustível cerca de três quilos de rejeitos orgânicos. Não será necessário realizar manutenções com frequência. “Entre 3 e 8 anos é o tempo que temos para fazer a remoção do lodo, que também serve como adubo e se acumula no fundo do equipamento. Ainda, será necessário trocar anualmente o filtro de carvão ativado, parte responsável por eliminar odores do enxofre”, explica.

Texto e fotos Pietra Darde