RS Educação RSS Estrela

Estrela conta com três novas cooperativas escolares

Associados da CoperLeo (Foto: Rodrigo Angeli)

Estrela já conta com mais três cooperativas escolares: Cooperpin, CooperLeo e Cooperfácio. São elas projetos de alunos das escolas municipais de Ensino Fundamental (Emefs) Pinheiros, Leo Joas e José Bonifácio, participantes da segunda temporada, em Estrela, do Programa Cooperativas Escolares.

As Assembleias Gerais de Fundação ocorreram na presença de alunos, sócios das cooperativas, professores e de diversas autoridades, entre elas os presidentes e vice da Sicredi Ouro Branco, Silvio Landmeier e Inácio Berwanger; e também do titular da Secretaria do Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplade) de Estrela, Paulo Finck. “Cooperativa tem o papel de sempre colocar as pessoas em primeiro lugar, sempre visa melhorar a qualidade de vida de seus associados”, destacou Landmeier. “Um aprendizado para muitos jovens que será levado para a vida adulta, pois já terão consciência de valores, conceitos e ensinamentos deste importante meio social e econômico que são as cooperativas”, analisou Finck.

A primeira assembleia ocorreu na terça-feira, no saguão da escola do Bairro das Indústrias. “Para mim tem sido algo muito interessante. Aprendi coisas novas, fiz novos amigos e pude interagir com pessoas de outras escolas, algo bom para uma pessoa tímida como eu”, destaca a aluna Bruna Gabrieli Müller (14), uma das sócias-fundadoras da CooperLeo. Nesta quarta-feira pela manhã foi a vez das outras duas cooperativas. A Cooperfácio, que conta com até 40 estudantes do 5º ao 9º ano da escola do Distrito de Costão, realizou solenidade no salão da comunidade evangélica Beija-Flor. Depois foi a vez da Cooperpin, que já conta com 39 alunos envolvidos.

Em 2017 oito escolas iniciaram no programa, sendo que cinco cooperativas foram fundadas: Cooperdiel (Emef Arnaldo José Diel); Coopeluther (Colégio Martin Luther); Coopstar (Emef Cônego Sereno Hugo Wolkmer); CSA Cooper (Colégio Santo Antônio), Coopej Emef (Pedro Jorge Schmidt). Estas seguem em 2018 com o chamado processo de manutenção. A Coopstar realizou, esta semana, um balanço das atividades e uma apresentação dos trabalhos da cooperativa a alunos mais novos na busca de mais associados, também para garantir a continuidade do projeto em 2019.

Saiba Mais:

A iniciativa visa a criação de associações de estudantes. Estas têm finalidade educativa, nas quais alunos são incentivados a desenvolver atividades econômicas, sociais e culturais em benefício dos jovens associados. Também trabalham a formação de futuros líderes, gestores, empreendedores e cidadãos. Através destas organizações os estudantes vivenciam princípios do cooperativismo, participam do desenvolvimento de projetos, oficinas e trabalham disciplinas como gestão, educação financeira, cooperativismo e outras. A adesão das escolas é voluntária e as cooperativas são formadas somente por alunos. Estes têm suporte pedagógico para a implantação e desenvolvimento do programa e um professor orientador.

Texto: Ascom Estrela