Destaques Turismo Muçum

Família aposta em sistema “colha e pague” de uva

Família Franchini deve abrir “colha e pague” em 15 dias

Além de aumentar a renda familiar, iniciativa é uma alternativa ao turismo

 

A grande procura pela compra de uva na propriedade da família Franchini, na comunidade Linha Alegre Caravaggio, interior de Muçum, fez com Marcos Franchini e a esposa Luciane Franchini inovassem. Produtores de uva há 20 anos, daqui cerca de 15 dias ele devem inaugurar o Colha e Pague da Família Franchini. São aproximadamente dois hectares, onde os visitantes poderão colher as frutas das espécies Niágara Rosa, Niágara Branca e Isabel Precoce.

 

Muçum é um dos primeiros municípios do Estado a comercializar uma das frutas mais cultivadas no Estado. Devido ao microclima favorável a produção de uva na Princesa das Pontes se antecipa em relação a regiões como a Serra Gaúcha. A produção que se distribui pelas linhas Alegre, 13 de maio, Brás Charleo, Barra das Contas, 28 de Setembro, 20 de Setembro e Dom Felipe de Nadal, soma mais de 34 hectares.

 

Segundo o técnico da Emater/Ascar – RS, Jairo Belini, esse deve ser o primeiro Colha e Pague de uva do Vale do Taquari. Ele conta que a ideia surgiu junto a família, após diversas conversas entre Emater e Administração Municipal, através das pastas de Agricultura e Produção e de Ação Social, Cultura, Turismo e Desporto. “As pessoas poderão colher suas frutas em contato direto com a natureza, algo que cativa cada vez mais os turistas”, diz.

 

A família é também conhecida em Muçum e Região pela produção em grande escala de frutas e hortaliças que são comercializadas em diversos mercados do Vale do Taquari e Serra Gaúcha. Além disso, grande parte do que é produzido, é direcionado ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A expectativa de Franchini, Emater e Administração Municipal, agora é que aos poucos a propriedade se torne um ponto turístico. O agricultor conta que foi exatamente pensando em investir no setor que pôs em prática o “colha e pague”. Ele identificou a vontade dos visitantes de sua propriedade em voltar às origens, conhecer e ter contato com o meio rural. “Muitos dos visitantes que recebo, já me falaram da vontade de colher o próprio alimento”, conta.

 

Muçum foi recentemente destaque pelo crescimento da atividade rural, entre 2006 e 2017. O município teve alta de 29% no número de propriedades, passando de 276 para 356. A agricultura familiar teve aumento de 11%. A secretária da pasta de Turismo, Jacinta Casagrande, salienta o desenvolvimento e fala em necessidade de aproveitar a vocação que o interior do município tem para a produção agrícola de frutas e hortaliças, em prol do setor turístico. “Com certeza, a iniciativa vai fomentar o turismo em Muçum e Região. Nossa agricultura é diversificada e próspera. Podemos nos valer disso para prospectar ainda mais turistas”, avalia.

 

Para agendar a visita a propriedade e obter mais informações, o interessado deve entrar em contato com a família pelo: 051.99607.3671.

 

 

Assessoria de Imprensa de Muçum