Social Lajeado

Formado o terceiro grupo de facilitadores do Pacto Lajeado pela Paz

Um novo grupo passou pela formação de Facilitadores da Paz, que integra o eixo de prevenção do programa da Prefeitura de Lajeado, o Pacto Lajeado pela Paz. Os participantes realizaram nos dias 10 e 11 de setembro, o Curso de Formação Básica para Facilitadores de Justiça Restaurativa para o conhecimento da metodologia dos Círculos de Construção de Paz Não Conflitivos, na Casa de Cultura.

Seguir os princípios e valores da Justiça Restaurativa é uma das ações do eixo de prevenção do Pacto Lajeado pela Paz. O objetivo do curso é formar facilitadores da paz para promover o fortalecimento dos relacionamentos, a fim de minimizar as situações de conflitos nos espaços comunitários, familiares e de trabalho.

O curso foi ministrado pela instrutora e coordenadora da Justiça Restaurativa, Tânia Fröhlich Rodrigues, que contou com o auxílio da facilitadora da paz e coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Ana Paula Ely.

Durante a capacitação, os participantes vivenciam cada etapa da metodologia do Círculo de Construção de Paz, como construção dos valores, diretrizes, contações de histórias e habilidades dos facilitadores. Além disso, a capacitação aborda a comunicação não violenta, compreendendo as necessidades do outro com técnicas de escuta qualificada, observação e não julgamento.

Uma das integrantes do grupo foi Angela Cristina Fiorioli Dahmer, Assessora Jurídica da Promotoria de Justiça Especializada do Ministério Público. Para ela, tornar-se facilitadora da paz é um grande privilégio. “Reafirmei minha certeza que temos de nos tornar a mudança que queremos no mundo e a prática dos Círculos de Construção de Paz,  por meio da escuta mútua,  proporciona que a comunicação seja positiva e assertiva, que o diálogo seja qualificado, que as relações sejam honestas, permitindo a interconexão e a desconstrução de crenças limitantes. Também permite a consciência de pertencimento e o fortalecimento da comunidade para a resolução de conflitos, valendo-se da empatia e do não-julgamento”, contou Angela.

“Dividir dois dias cheios de sentimentos com alguns colegas de trabalho e outros participantes foi uma experiência enriquecedora. Por vezes, nós esquecemos de olhar para dentro de si, de lembrar dos valores e, especialmente, de olhar para o próximo sabendo que cada um possui a sua história. Empatia, tolerância e respeito são sentimentos que devem ser cultivados e o curso nos reforça sua importância”, contou Patrícia Cristine Scheibel, servidora municipal.

O curso deste segundo grupo se encerra em outubro, quando os participantes voltam a se reunir para aprofundar a teoria da Justiça Restaurativa e compartilhar as vivências da facilitação de vínculo ou práticas restaurativas que tiveram no ambiente de trabalho ou familiar.

O próximo encontro está previsto para ocorrer com líderes religiosos no final de setembro. As capacitações também serão voltadas para a rede de atendimento das áreas de saúde, educação, assistência social e cultura, grupos comunitários, como líderes comunitários e Organizações Não Governamentais (ONGs).

Até agora, foram formados 69 facilitadores da paz por meio do Pacto Lajeado pela Paz. O curso tem duração de 25 horas e é dividido em dois dias. Durante a formação, é definida uma terceira data para o fechamento do grupo.

SAIBA COMO PARTICIPAR:

Profissionais da imprensa e pessoas da comunidade interessados em realizar o curso podem entrar em contato com a coordenação do Pacto Lajeado pela Paz, pelo fone 3982-1028 ou pelo e-mail pacto@lajeado.rs.gov.br para deixar seu nome na lista de interessados em fazer a formação. Na medida em que as turmas forem abertas, as pessoas serão chamadas a participar.

Saiba mais sobre o Pacto Lajeado pela Paz clicando aqui.

Assessoria de Imprensa de Lajeado