Encantado Eventos Rural

Fórum tecnológico em Encantado discute cadeia produtiva do leite

Entre os palestrantes, o veterinário Martin Schmachtenberg apresentou dados do relatório socioeconômico da cadeia produtiva do leite

O auditório Itália da sede da Prefeitura de Encantado esteve praticamente lotado nesta quarta-feira (13/11) para a 13ª edição do Fórum Tecnológico do Leite. Na ocasião, um público superior a 400 pessoas – entre produtores rurais, técnicos, representantes de entidades ligadas ao setor e estudantes – acompanhou palestras, painéis e relatos de experiências relacionados à cadeia produtiva do leite. Lideranças, como o presidente da Emater/RS Geraldo Sandri e o chefe de gabinete da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Erli Teixeira também prestigiaram o evento. 

Na ocasião, o veterinário da Emater/RS-Ascar, Martin Schmachtenberg, apresentou dados do relatório socioeconômico da cadeia produtiva do leite nos vales do Taquari e Caí em 2019. Entre os números, aquele que dá conta de que a quantidade de produtores reduziu de dois anos para cá em cerca de 6.600 para 5.600 (algo em torno de 15%), o mesmo ocorrendo com o rebanho, que caiu de em torno de 100 mil para 92 mil animais em lactação (8% de queda), com a produtividade sendo pouco afetada – de 393 milhões de litros ao ano para 380 milhões de litros ao ano (redução de 3%) é um dos que chama a atenção. 

Para Schmachtenberg estes dados podem ser explicados pelo fato de que os que permanecem na atividade, tendem a investir nela, qualificando o manejo em todas as etapas, com aplicação de novas tecnologias, acesso a crédito rural e busca de aperfeiçoamento. Ainda assim, os números dão conta de que 57% dos bovinocultores produzem leite em pequena escala, tendo uma média diária máxima de 150 litros do produto, na propriedade. A pesquisa buscou ouvir ainda dos produtores sobre seu vínculo à indústria, a respeito do tipo de alimentação oferecida ao rebanho, sobre o sistema de retirada do leite e em relação às dificuldades. 

Concurso do leite em metro deu o “título” para a agricultora Carla Weschenfelder, de Salvador do Sul (segunda a partir da esquerda)

De certa forma a palestra do veterinário serviu para referendar um dos painéis realizados na parte da tarde, que contou com a participação de quatro jovens que permaneceram no campo. Mediado pelo assistente técnico estadual em Sistema de Produção Animal, Jaime Ries, a atividade discutiu realidades de produção que tomavam por base a adoção de leite à base de pasto, a utilização de compost barn, de free stahl e de ordenha robotizada em pequena propriedade. Na fala de cada agricultor foram apresentadas as vantagens de cada sistema e qual o caminho adotado pela família até a implantação deste. 

Terceiro bovinocultor a apresentar, Fabrício Balerini, de Vespasiano Corrêa salientou o fato de que pouco importa o modelo adotado pelo agricultor, desde que o trabalho seja bem feito, com capricho, com atenção ao conforto dos animais e à outros aspectos, como a higiene do rebanho, ao controle e a gestão deste e ao melhoramento genético. “No fim das contas toda a propriedade é uma espécie de laboratório, onde estamos sempre testando os processos para melhora-los”, resumiu o jovem. “Independente do modelo, estamos sempre em busca de um rebanho mais saudável e mais produtivo e que nos permitirá uma maior qualidade de vida”, concordou Lucas Ahlert, de Westfália. 

O Fórum foi completado por painéis sobre combate e erradicação a febre aftosa e controle da brucelose e da tuberculose bovinas, além de uma palestra motivacional com o psicólogo Vilmar Varzim. Já tradicional no evento, o concurso do leite em metro deu a vitória a agricultora Carla Weschenfelder, de Salvador do Sul. Durante o dia também foi assinado convênio entre a Seapdr e a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) para repasse de equipamentos que serão utilizados pela Instituição de ensino. No ato, e durante todo o encontro, Teixeira esteve representando o secretário Covatti Filho. 

O presidente da Emater/RS Geraldo Sandri valorizou o Fórum, por possibilitar debate sobre uma das mais importantes cadeias produtivas do Estado. “E a nós gestores cabe levar as políticas públicas a cada canto do Rio Grande do Sul, auxiliando as famílias, instrumentalizando-as para o fortalecimento do setor primário”, enfatizou, enquanto saudada o esforço de todas as entidades para a concretização do fórum. Outras autoridades, como o prefeito de Encantado Adroaldo Conzatti, o secretário executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat) Darlan Palharini e o diretor do Colégio Teutônia Jonas Rückert, além do deputado estadual Edson Brum prestigiaram a atividade.

 

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald