Saúde RSS Teutônia

Francisco Abrahão reeleito para o quinto mandato à frente da Associação Beneficente Ouro Branco

Presidente da ABOB, Francisco de Souza Abrahão, reeleito para o quinto mandato consecutivo (Foto: Leandro Augusto Hamester)

No dia 19 de abril a Associação Beneficente Ouro Branco (ABOB), entidade mantenedora do Hospital Ouro Branco (HOB), de Teutônia, realizou assembleia geral ordinária. O evento ocorreu na Associação da Água do Bairro Languiru e a ordem do dia destacou prestação de contas do exercício de 2017, compreendendo relatório de atividades, demonstrações contábeis e pareceres da auditoria externa e do Conselho Fiscal, seguida de eleição e posse da Diretoria e do Conselho Fiscal para o biênio 2018-2020.

Relatório de atividades

O relatório de atividades e a prestação de contas do último exercício foram conduzidos pelo diretor-executivo do hospital, André Lagemann, que apresentou indicadores da instituição e resumo de investimentos realizados no último ano. A contadora da casa de saúde, Márcia Leonhardt, detalhou as demonstrações contábeis da instituição.

Destaque para as 38.133 consultas do Pronto Atendimento Médico Ambulatorial (PAMA) em 2017. Outro número importante refere-se às internações, que alcançaram 4.248 registros, variação de 26% num comparativo ao exercício anterior (3.359). Também foram realizados 413 partos no ano e 2.157 cirurgias. Lagemann ainda apresentou números do Laboratório Ouro Branco e do Serviço de Diagnóstico por Imagem, que somam cerca de 240 mil exames.

O diretor-executivo destacou o posicionamento regional do HOB como referência em atendimento de especialidades, além de alertar para o crescente número de atendimentos no PAMA. “Diariamente são atendidas, em média, 105 pessoas no Pronto Atendimento, local que deveria receber casos de urgência e emergência, não sendo um ponto para consultas médicas para casos de menor complexidade. Nesta porta de entrada a prioridade de atendimento está relacionada aos casos graves e urgentes”, explicou, ressaltando a importância da comunidade procurar as unidades básicas de saúde para os casos que não são de urgência e emergência.

Solidariedade e recursos

Anualmente o HOB é beneficiado com inúmeras ações solidárias desenvolvidas por entidade, empresas e comunidade em geral. Em 2017, as doações representaram aproximadamente R$ 250 mil, contabilizando doações financeiras, de gêneros alimentícios, produtos de limpeza, entre outros.

No que se refere à campanha Mãos Dadas com a Saúde, desenvolvida em parceria com a Certel Energia e que arrecada recursos em benefício do hospital por meio de doações espontâneas via conta de luz, foram angariados R$ 154,8 mil ao longo do ano de 2017.

“A participação da comunidade é essencial para a manutenção das atividades do Hospital Ouro Branco, assim como as parcerias com os municípios. Temos muito a agradecer pelo espírito solidário da comunidade e contamos com esse mesmo envolvimento em 2018”, destacou Lagemann.

O diretor-executivo explicou que o HOB realizou uma série de investimentos nos últimos anos, especialmente em infraestrutura e equipamentos. No entanto, no último exercício esses valores foram reduzidos. “Passamos por grande dificuldade financeira e isso determinou a restrição em investimentos”, disse. A situação financeira da casa de saúde foi amenizada em 2017, com ações judiciais que garantiram ao HOB receber em dia recursos devidos pelo Governo do Estado e acesso a linhas de crédito especiais. Além disso, foi primordial a gestão plena da saúde, a partir de abril de 2017 assumida pela Prefeitura de Teutônia, que determina o repasse dos recursos do Ministério da Saúde à prefeitura, que por sua vez destina esses valores, na integralidade, ao HOB. Isso não ocorria de forma integral anteriormente, quando os mesmos recursos federais eram repassados ao Estado.

“Sofremos com o corte de recursos complementares do Estado e da União, o que representou R$ 2 milhões de receita a menos no último ano. A partir disso precisamos bater na porta das prefeituras, mais uma vez, que atenderam ao nosso apelo e possibilitaram aporte financeiro extra. Precisamos olhar para frente, na expectativa de que as próximas gerações possam seguir com o atendimento e os serviços em saúde oferecidos pelo HOB. Precisamos mobilizar a sociedade e nossos representantes políticos para viabilizar o Hospital Ouro Branco”, enfatizou Lagemann.

Eleições

Uma única chapa para eleição da diretoria da ABOB foi apresentada e eleita por unanimidade pelos associados presentes. Francisco de Souza Abrahão foi reeleito Presidente para seu quinto mandato consecutivo na gestão 2018-2020. O vice-presidente eleito e empossado é Marco Aurélio Weber, secretário Gerson Trenepohl, vice-secretária Fabiane Dentee Wommer, tesoureiro Milton Huwe e vice-tesoureira Margarete Elisa Mallmann. Os membros titulares do Conselho Fiscal são Silério Hamester, Rudimar Landmeier e Markyson Marques Royer, com os suplentes Daltro Severo Costa da Silva, Jorge Lauri Mörschbächer e Irineu Antônio Forneck.

“Passamos um ano de 2016 muito difícil, com atrasos no repasse de recursos e que nos prejudicaram muito, principalmente com o fluxo de caixa. Em 2017, o trabalho esteve focado em apenas um objetivo: manter as portas do Hospital Ouro Branco abertas. Tivemos e seguimos tendo muito trabalho, tudo para salvar o hospital”, frisou Abrahão em seu discurso.

O presidente igualmente enalteceu a importância do apoio das prefeituras, cujos recursos financeiros são essenciais. “A recuperação é lenta, porém gradual. O refinanciamento da dívida nos dá tranquilidade para seguir fazendo o nosso melhor. O ano de 2017 já foi melhor e agora podemos começar a pensar com um quadro mais positivo pela frente. Entretanto, por mais que os números estejam melhorando, ainda não são muito ‘simpáticos’”, explicou o presidente.

Por fim, Abrahão ainda se disse honrado em integrar o seleto grupo de presidentes decanos à frente da ABOB. “É motivo de muito orgulho poder dar a minha contribuição. Agradeço a todos os pares de diretoria, desta e de gestões anteriores, pelo trabalho desenvolvido. O trabalho não é fácil, mas precisa continuar”, encerrou.

Texto: Ascom HOB