Rural - Agricultura Teutônia

Gestão da propriedade rural é tema de atividade com jovens produtores de Teutônia

Como parte do Programa de Sucessão Familiar da Languiru, representantes da Emater/RS-Ascar participaram na quarta-feira (27/11), na sede da cooperativa, de uma atividade sobre gestão da propriedade rural. Na ocasião, o coordenador do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar (PGSAF), Celio Colle, deu detalhes da política pública – que é operacionalizada pela Emater/RS-Ascar por meio de convênio com o Governo do Estado -, instrumentalizando-os para a utilização da planilha que gera dados sobre a propriedade, com vistas a qualificar as tomadas de decisão futuras. 

Parceiras no Programa de Inclusão Social e Produtiva no Campo (PISPC), ambas as entidades unem forças no sentido de qualificar os jovens, estimulando-os para a permanência no campo, garantindo ainda a sustentabilidade da atividade produtiva. “Nesse sentido, a formação dá continuidade a uma série de outros encontros, em que se discutem questões técnicas e administrativas relacionadas ao dia a dia da propriedade, estando entre elas a gestão”, salienta o coordenador regional do PGSAF, o supervisor da Emater/RS-Ascar Cezar Burille – que também acompanhou o evento. 

Para Burille, a discussão da gestão, com o uso de uma planilha própria para a colocação de todas as informações, tem auxiliado os produtores a planejar melhor os investimentos, com mais renda e qualidade de vida. “Anotar aquilo que se faz, quais as entradas, quais as saídas, quanto se investiu e quanto se ganhou, é trabalhar com mais segurança”, salientou. Para ele, “gestão é informação”. Como exemplo, cita o caso de agricultores que racionalizam os custos de produção, aumentando a renda. “Em muitos casos não se trata de aumentar o rebanho e sim melhorar o manejo”, pondera. 

É exatamente este o caso do jovem Matheus Schneider, de Lajeado. Utilizando a planilha há cerca de dois anos, viu a produtividade do rebanho de 34 vacas em lactação, alcançar neste ano os 600 litros de leite ao dia. “Muitas vezes pequenas alterações na dieta do rebanho ou nos cuidados com a higiene já dão um resultado expressivo”, comenta o agricultor de 22 anos, que pretende seguir na propriedade em que mora com os pais. Com tudo anotado, garante ter havido uma “economia” de cerca de 10% num comparativo de 2018 com 2017. “E isto é resultado de um olhar mais atento para aquilo que estamos fazendo”, garante. 

A atividade contou ainda com a participação do gerente regional da Emater/RS-Ascar Marcelo Brandoli, que valorizou a qualificação, que reafirma a responsabilidade d entidade, no apoio à manutenção da permanência do jovem no campo. “Trata-se de uma de nossas ações prioritárias”, afirma. Do programa de Sucessão Rural da Languiru participam, desde setembro de 2018, 46 jovens, que participam de encontros mensais – alguns deles com a participação dos pais, com vistas a estimulá-los a incluir os filhos nos assuntos relacionados à propriedade.

 

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald