Brasil RSS Rural - Agricultura Destaques

Governo zera o imposto de importação para feijões por três meses

Há duas semanas, o quilo do feijão estava de R$ 8 a 12 nos supermercados, agora já chega a R$ 14 a R$ 18, dependendo do tipo e da qualidade (Foto: Divulgação)
Há duas semanas, o quilo do feijão estava de R$ 8 a 12 nos supermercados, agora já chega a R$ 14 a R$ 18, dependendo do tipo e da qualidade (Foto: Divulgação)

Por conta do alto preço do feijão e das especulações de que o valor do quilo ainda iria aumentar, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) zerou o Imposto de Importação para os feijões preto e carioquinha pelo período de três meses. A medida assinada pelo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira deve ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 24 de junho.

Segundo informações da pasta, a decisão foi tomada em função da elevação do preço do produto, motivada por uma combinação de fatores. Com a medida, a tarifa para importação dos feijões de países fora do Mercosul, até então era de 10%, será reduzida por meio da inclusão de dois códigos relacionados ao feijão na Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum.

Há duas semanas, o quilo do feijão estava de R$ 8 a 12 nos supermercados, agora já chega a R$ 14 a R$ 18, dependendo do tipo e da qualidade. Em 12 meses, a alta (IPCA-15) do feijão-carioca, o mais consumido do país, com 70% da demanda, é de 58,6%. O produto passou a ser um dos principais fatores de pressão na inflação brasileira.

Para tentar reduzir o preço, o governo vai aumentar a compra de feijão de três países do Mercosul: Argentina, Paraguai e Bolívia. “Como não há perspectiva do aumento da oferta do produto no mercado no curto prazo que seja proveniente da produção doméstica, decidimos que é necessário facilitar a importação, por meio da redução da alíquota do Imposto de Importação”, explicou o ministro Marcos Pereira em nota divulgada nesta quarta-feira, 23 de junho.

Texto: Ascom CNM