RSS Destaques Geral Nova Bréscia

Grupo catarinense conhece granja robotizada da Dália Alimentos

Grupo catarinense esteve visitando a cooperativa nesta semana (Foto: Carina Marques)
Grupo catarinense esteve visitando a cooperativa nesta semana (Foto: Carina Marques)

O Projeto Associativo de Produção Leiteira com Ordenha Robotizada da Dália Alimentos em Nova Bréscia foi visitado por uma comitiva catarinense nesta terça-feira, dia 26 de julho. Reunido inicialmente na sede da Dália Alimentos, o grupo composto por 41 pessoas do município de Seara percorreu 380 quilômetros a fim de conhecer a iniciativa pioneira da cooperativa no modelo associativo.

Conforme o engenheiro agrônomo e líder da excursão técnica, Renato Tumelero, a comitiva esteve composta por 35 produtores de leite dos municípios de Seara, Arabutã e Itá; além da médica veterinária Kalinka Schimitti da Silva, do técnico agrícola Arloci Berno, do zootecnista Elias Roberto Rambo e de empresários do setor. O objetivo foi conhecer o modelo de projeto que utiliza robôs na realização da ordenha dos animais e também um pouco mais acerca da Dália Alimentos, que hoje possui 4.413 famílias associadas e foi pioneira no projeto associativo com ordenha robotizada na América Latina.

Recebeu o grupo na sede da Dália Alimentos, em Encantado, o gerente da Divisão Produção Agropecuária (DPA), Igor Weingartner, que fez um breve relato sobre o projeto que demandou investimento de R$ 5 milhões. Ele também explicou o andamento dos dois condomínios em funcionamento nos municípios de Nova Bréscia e Roca Sales e dos que se encontram com obras civis em andamento, nos municípios de Arroio do Meio e Candelária.

Weingartner observou as dificuldades, traçou as evoluções do projeto e explicou o funcionamento dos três robôs VMS DeLaval importados da Suécia e utilizados na realização da ordenha das 156 vacas em lactação, hoje produzindo 4.400 litros de leite/dia, com uma média de 28 litros/leite/animal. Entre vacas secas, terneiras e novilhas o condomínio de Nova Bréscia possui mais 64 animais. A capacidade total de instalação é para 262 animais.

Quanto ao número de produtores associados, que possuem cotas, são 14 famílias participantes. “Como em todo projeto inovador e pioneiro existem ônus e bônus. O período inicial é sempre de descobertas, amadurecimentos e ajustes, mas acreditamos que a ideia de projeto associativo traz ganho de produção e eficiência. É uma alternativa para a agricultura familiar e um conceito de produção coletiva que pode ser replicado em outras propriedades, a exemplo do que também será realizado pela Dália no Projeto Avícola, em fase de implantação, objetivando a sobrevivência no meio rural e a continuidade das atividades.”

Após a visita à sede da Dália, o grupo deslocou-se ao condomínio em Nova Bréscia para visitação. Acompanhou os visitantes o presidente do empreendimento, Admir Lorenzon; e o técnico da cooperativa, Júlio De Sordi, além de funcionários do condomínio.

Texto: Ascom Dália Alimentos