Vale do Taquari Destaques Nova Bréscia

Hospital de Nova Bréscia faz campanha para arrecadar doações

Hospitais de todo o Rio Grande do Sul passaram a fazer apelo à população nos últimos dias. As altas taxas de internação, o crescimento assustador de uso de leitos de UTI e de pacientes que precisam ser internados, levou os hospitais ao limite no atendimento.
 
No Hospital São João Batista de Nova Bréscia, não é diferente. No início da pandemia, a entidade preparou seis leitos para receber pacientes contaminados pelo coronavírus. Recentemente, os leitos precisaram ser aumentados para nove, devido ao crescimento dos casos no município. Atualmente, os nove leitos da ala Covid estão sendo usados, e mais um leito para um suspeito.
 
O Hospital relata que o cenário é preocupante. Até o momento, os pacientes estão tendo tratamento adequado e os que necessitaram de transferência, estas foram feitas. No entanto, na manhã de hoje, 25/02/2021, o Hospital Bruno Born de Lajeado avisou ao Hospital São João Batista que não tem mais condições de receber pacientes.
– Estamos tendo um bom suporte com a empresa que fornece oxigênio, sempre mantendo as quantidades necessárias de cilindros para atender aos pacientes. Mas houve um aumento significativo nos custos com medicamentos, oxigênio, EPIs e materiais necessários para atender aos pacientes e funcionários com segurança. Estamos conseguindo manter o estoque das medicações para tratamento da Covid, mas os custos estão exorbitantes – revela a funcionária do Hospital, Géssica Dellazeri.
Segundo o hospital, os recursos federais para combate a Covid acabaram. Em contrapartida, os custos com material e especialmente com oxigênio, continuam e estão elevando-se consideravelmente de dezembro em diante.
 
O Hospital, inclusive, proibiu visitas para qualquer paciente internado, bem como restringiu acompanhantes a no máximo um por vez, revezando-se uma vez ao dia.
 
Assim como os demais hospitais do estado, o Hospital São João Batista faz um apelo a todos, para que permaneçam em casa neste período crítico da pandemia, pois a entidade não gostaria de ter que recusar atendimento a ninguém que necessitar.
 
 
Fonte: Jornal Nova Bréscia