Artigos - Saúde e Bem-estar

“Iogurte: como fazer a melhor escolha e quais os seus benefícios?” – por Daiane Bergamaschi

Daiane Bergamaschi (Foto: Divulgação)

O iogurte é um produto que que vem ganhando cada vez mais destaque, visto que, atualmente há uma forte tendência à se escolher alimentos mais naturais e saudáveis. Nos supermercados nos deparamos com uma vasta variedade de marcas, tipos e sabores, e diante disto, como saber qual realmente está de acordo com o nosso objetivo?

Basicamente podemos defini-lo como um produto de preparo simples, resultado da fermentação da lactose do leite por duas bactérias benéficas, a Streptococcus thermophilus e a Lactobacillus bulgaricus, originando ácido lático, que desestabiliza proteínas do leite e, por isso, o produto modifica sua consistência, tornando-se mais cremoso, além de apresentar o sabor levemente ácido.

Dentre os leites fermentados, o iogurte tem grande importância pela sua rica composição nutricional. Apresenta proteínas de alto valor biológico necessárias na construção, reparação e renovação dos tecidos do organismo; também possui mais cálcio que o leite, fundamental na formação e manutenção dos ossos, dentes e unhas, além de participar das contrações musculares.

Possui vitamina A, importante na restauração e construção de novos tecidos, e fundamental na saúde da visão e da pele, auxilia no tratamento de acne e da queda de cabelo; também conta com vitaminas do complexo B, que participam do metabolismo de proteínas, lipídios e carboidratos, tendo papel importante na produção de energia, na oxidação das células, na produção de neurotransmissores e nas funções neurológicas normais, além de apresentar baixo teor de lactose, visto que a ela é parcialmente quebrada em seu processamento favorecendo a sua digestibilidade.

Outro benefício está relacionado ao sistema imunológico, fortalecido principalmente devido a melhora da flora intestinal. Controla a fome e prolonga a saciedade, isso evita a procura por outros alimentos fora de hora, logo, é uma ótima opção de lanche entre as refeições, e no próprio café da manhã.

Pode ser encontrado em diversas versões e o indivíduo deve analisar qual se adequa melhor a sua necessidade: natural, com baixo teor de gordura (desnatados, light e zero gorduras) que possuem menos calorias, integrais, enriquecidos com cálcio, que auxiliam no tratamento da osteoporose, ricos em proteínas como o Grego, ricos em fibras que auxiliam no funcionamento intestinal, zero lactose, com polpa de frutas, chocolates, adoçantes, com aditivos que são utilizados pela indústria principalmente para aumentar o sabor a data de validade, etc.

Nutricionalmente, o iogurte natural é uma ótima opção, pois é composto apenas de leite e bactérias, porém, seu sabor é mais ácido. Uma dica é agregar fibras como aveia, semente de chia, granola, e saborizá-lo com mel, canela, frutas frescas ou secas.

Na culinária, são muito versáteis, podendo ser utilizados em massas de bolos e para fazer molhos mis leves, substituindo o creme de leite, por exemplo. Antes de comprar, fique atento à lista de ingredientes, lembre-se que quanto mais ingredientes mais processado o alimento é considerado!

Esses produtos são perecíveis, atente-se principalmente à data de validade. Atente-se também às condições de armazenamento, os produtos devem estar sempre sob refrigeração.

Daiane Bergamaschi – Nutricionista Pós-graduada em Gestão da Qualidade no Processamento de Alimentos