Melhor Idade Coronavírus Lajeado

Lares de idosos participam de treinamento virtual com fiscais da saúde de Lajeado

Desde o início da pandemia de coronavírus, fiscais da Vigilância Sanitária (Visa), setor vinculado à Secretaria da Saúde (Sesa), vêm acompanhando a situação nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), entidades que acolhem pessoas idosas, em Lajeado. O objetivo é capacitar e oferecer orientações para reduzir riscos de contaminação pelo novo coronavírus nestes espaços, considerados de alto risco em razão da idade dos residentes e de eventuais comorbidades. Na quinta-feira, 16/07, a equipe realizou um novo encontro virtual com proprietários e responsáveis técnicos de sete lares de idosos por meio da plataforma Google Meet.


– Optamos pela reunião virtual para manter nossa proximidade mas evitando visitas presenciais nas instituições, visto que inclusive nós, fiscais, podemos ser transmissores. Os lares, que vem recebendo orientações antes mesmo dos primeiros casos confirmados em Lajeado, têm feito um bom trabalho pois a situação encontra-se controlada nesses locais. Ficamos satisfeitos com a participação dos responsáveis e pretendemos fazer mais encontros como esse – contou a coordenadora da Visa, Jesuane Salami.


No encontro, os fiscais recomendaram os cuidados quando novos idosos ingressam em uma instituição, bem como reforçaram o correto manejo de residentes e profissionais em caso de apresentarem sintomas de coronavírus. Além disso, também esclareceram dúvidas e reforçaram os cuidados necessários para o recebimento de visitantes.


Lajeado tem 11 ILPIs em funcionamento, e em duas delas houve registro de casos positivos de coronavírus. Os surtos nestas duas instituições já foram considerados concluídos. Dos 23 óbitos registrados no município até agora, 8 eram residentes em instituições deste tipo.

Veja quais são as medidas adotadas nos lares:


– Restrição ao máximo do número de visitantes, assim como a frequência e a duração de visitas, estabelecendo um dia da semana para visitação e criação de cronograma para evitar aglomerações.


– Orientação para adoção de medidas alternativas para garantir a comunicação dos residentes com seus familiares, com o uso de tecnologias e da internet para que os moradores possam conversar com seus parentes, reduzindo episódios ou agravamento de casos de depressão, que também reduzem a imunidade da pessoa.


– Um técnico da Vigilância em Saúde monitora diariamente a situação das instituições, acompanhando a evolução de eventuais casos confirmados e detectando possíveis novos casos sintomáticos para encaminhar ao exame. Cada ILPI deve enviar boletim diário à Secretaria de Saúde informando estado de saúde dos residentes e dos funcionários.

– Orientações de higiene: reforço das rotinas de higiene das instituições, com aumento da frequência de lavagem de mãos com água e sabão, uso de álcool em gel, uso de água sanitária para limpeza e desinfecção dos ambientes, janelas e portas abertas sempre que possível para garantir o arejamento dos ambientes.


– Disponibilização de medicamentos da rede pública, que poderão ser utilizados pelo médico responsável da instituição, com a adoção de protocolos e exames específicos, para reduzir riscos de agravamento dos eventuais casos, e informação imediata à secretaria sobre eventual necessidade de internação de caso.


– Isolamento dos casos confirmados ou sintomáticos de residentes, que deverão ficar separados de outros moradores, com atendimento de funcionário exclusivo e devidamente protegido para evitar contaminação interna.


– Comunicação imediata de qualquer novo caso sintomático à Vigilância Epidemiológica do município para os encaminhamentos necessários.

Assessoria de Imprensa de Lajeado