Cultura Lajeado

Lei Aldir Blanc é tema da reunião online com trabalhadores da área cultural

A Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e do Conselho Municipal de Política Cultural de Lajeado, realizaram na quinta-feira, 30/07, uma videoconferência com trabalhadores dos setores culturais de Lajeado por meio da plataforma Google Meet.

Os objetivos da videoconferência eram definir os representantes da Comissão Municipal de operacionalização da Lei Aldir Blanc e esclarecer sobre o processo de repasse de recursos a partir do cadastramento de agentes e espaços culturais (leia mais abaixo sobre o cadastramento).

Estiveram presentes virtualmente 60 agentes culturais que fizeram a escolha de três representantes para integrar a Comissão Municipal. Confira abaixo a lista dos indicados pelos setoriais.

Para um dos representantes da Comissão Municipal, Fernando de Oliveira, a indicação para integrar o grupo é a oportunidade de contribuir com os artistas e com a cultura de Lajeado.

– Com o cadastramento, temos conhecimento de quem é o músico que sobe ao palco, o ator que entra em cena, o artesão que expõe sua arte. Mas também o sonorizador que equipa o palco, o produtor que marca o show, o vendedor ambulante que fornece ao público. A cadeia produtiva da cultura está muito abalada com a pandemia, e a urgência da lei Aldir Blanc beneficia muitos desses trabalhadores – explicou o músico.

Na reunião, também foi discutido sobre o acompanhamento do Decreto Federal de regulamentação da Lei Aldir Blanc e as informações sobre os repasses.

Veja quem integra a comissão:  

– Jordana Durante, instrutora de danças do tradicionalismo gaúcho

– Fernando de Oliveira, músico e produtor que representa empresas, empreendedores, agentes e trabalhadores da Cultura

– Rogério Schmidt Júnior, músico que representa o setor cultural de música, bandas e orquestras

 

Cadastramento de agentes e espaços culturais

A Secel e o Conselho Municipal de Política Cultural estenderam até dia 07/08 o prazo para cadastramento de agentes (artistas e trabalhadores da cultura) e de espaços culturais. O objetivo do cadastro é agilizar o repasse de recursos por meio da Lei Aldir Blanc. Até agora, 180 trabalhadores já se cadastraram.

A Lei Aldir Blanc destinará para os trabalhadores do setor subsídios mensais para manutenção dos espaços culturais e outros instrumentos como editais, chamadas públicas e prêmios durante a pandemia de coronavírus. A expectativa é de que Lajeado receba R$ 589 mil para destinar a estes profissionais e espaços.

Para efetuar o cadastro, o interessado deve preencher o formulário online, que está disponível no site da prefeitura (clique aqui para acessar) Os agentes culturais que não tiverem acesso ao formulário de forma digital podem contatar a Secel por meio do telefone 3982-1003.

Quem pode se cadastrar:

Agentes culturais dos setoriais da cultura, espaços artísticos e culturais (confira mais abaixo), organizações da sociedade civil, empresas culturais, organizações culturais comunitárias, cooperativas, instituições culturais comunitárias, com ou sem fins lucrativos, espaços de apresentação musical, escolas de música, artes, dança, entre outros.

Confira os setoriais:

– Artes Cênicas: circo, dança, fantoches e bonecos, mágica, marionete, mímica, teatro, ópera e congeneres

– Artes Plásticas, Arte Visual e Audiovisual: artes gráficas, artes de intervenção urbana, cinema, fotografia, TV e rádio (imagens e fotos narradas, documentários, curtas, longas e outros)

– Artesanato: cerâmica, escultura, gravura, mosaico, pintura e afins

– Corais;

– Empresas, Produtores, Empreendedores, Agentes e Trabalhadores da Cultura

– Etnias e Folclore: (Afro-brasileira, Alemã, Haitiana, Indígena, Italiana, Quilombolas, Polonesa e outras)

– Literatura, Biblioteca e Escritores: livros, gibis, periódicos, revistas, informativos de caráter cultural, pesquisas e derivados

– Música, Músicos, Bandas e Orquestras;

– Patrimônio Histórico, Cultural e Natural (bens materiais e imateriais)

– Tradicionalismo Gaúcho

Confira os espaços culturais:

– Teatros independentes

– Escolas de música, de artes e estúdios, de capoeira, companhia e escolas de dança de capoeira

– Centros de tradição regionais

– Centros artísticos e culturais afrodescendentes

– Comunidade quilombolas

– Teatro de rua e demais expressões artísticas e culturais realizadas em espaços públicos

– Livrarias, editoras e sebos

– Empresas de diversões e produção de espetáculos

– Estúdios de fotografia

– Produtora de cinemas e audiovisual

– Ateliê de pintura, moda, design e artesanato

– Feiras de arte e de artesanato

– Espaços de apresentação musical

Assessoria de Imprensa de Lajeado