Alimentação Rural - Agricultura Colinas

Lourdes Agroindústria é inaugurada em Colinas

A manhã desta quarta-feira (16/12) foi de comemoração para a família Scharb, de Colinas. Na ocasião foi formalizada a inauguração da agroindústria familiar de geleias, compotas, derivados de cana de açúcar e de aipim descascado da Lourdes – empreendedora e anfitriã do dia. O ato, realizado na propriedade localizada na Linha Leopoldina, foi acompanhado pelo gerente adjunto da Emater/RS-Ascar Carlos Lagemann e pelo prefeito Sandro Hermann, além de outros extensionistas e familiares, em uma cerimônia de pouca aglomeração e com respeito à legislação em vigor na pandemia de covid-19.

Legalizada nas áreas tributária, sanitária e ambiental, a agroindústria está apta a utilizar em seus produtos o Selo Sabor Gaúcho, do Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado. “Para nós é um sonho que se torna realidade”, resumiu Lourdes, enquanto resgatava a história que viria a culminar na consolidação do empreendimento. “A realidade é que sempre gostei de elaborar geleias, compotas e outros alimentos para o consumo da família, dos vizinhos e dos amigos”, relatou.

O passo que a conduziu rumo à formalização contou com o apoio da Emater/RS-Ascar e da Prefeitura. “Eu já plantava frutas e verduras, comercializava in natura, e dar esse passo envolveu muita persistência e força de vontade”, recorda. O mix variado de produtos dá conta do empenho da agricultora, que elabora as receitas praticamente sozinha. “Aliás, algumas são testadas, outras que não ficam tão boas são melhoradas, mas dificilmente alguma coisa vai fora”, explica, enquanto mostra com orgulho um vidro de geleia de abacaxi, coco e pimenta – mistura que tem feito sucesso com o público.

A propósito do sabor “alternativo” de geleia, essa tem sido uma marca do empreendimento: a inovação. Além de trabalhar com conservas de pepino, beterraba, rabanete e cebola e geleias de morango, pêssego, pera e figo, não é difícil encontrar em meio aos produtos mais convencionais, sabores como maçã, cebola caramelizada e pimenta, geralmente procurados por quem se arrisca em variações pouco convencionais – e em sabores artesanais. “E o entusiasmo da Lourdes é algo admirável”, comenta o supervisor da Emater/RS-Ascar Cezar Burille. “Não se trata apenas de alguém pensando em produzir para vender e sim em alguém que ama o que faz”, avalia.

Comercializando diretamente para o público consumidor, em feiras locais e por meio de mercados institucionais como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Lourdes se diz feliz com o investimento, que envolveu recursos próprios e linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), além de muito esforço pessoal pra “fazer acontecer”. “É uma história que inicia há cerca de 10 anos e que evolui até hoje”, menciona Lourdes, recordando uma série de cursos e capacitações realizadas pela Emater/RS-Ascar, além do apoio de extensionistas como Mauro Stein e, atualmente, Lídia Dhein.

Lídia destaca o papel do extensionista, fundamental na hora de levar as políticas públicas para dentro da propriedade rural, desburocratizando os processos e possibilitando a oferta de produtos a uma gama ainda maior de consumidores. “E tudo de forma legalizada, com renda, sustentabilidade e oportunidade de sucessão familiar”, comenta, citando a filha de Lourdes, Rosimeri, que auxilia a mãe na elaboração dos produtos. A família é completada por Januário, o marido de Lourdes, que fica com a parte da “roça” – de plantar, cuidar dos cultivos e colher. “Nesse sentido, a conquista deve ser comemorada por todos”, observa.

Para o gerente adjunto da Emater/RS-Ascar Carlos Lagemann esse é o segredo de uma propriedade familiar de sucesso: a diversidade, com todos os integrantes da família trabalhando juntos, com respeito e de forma organizada. Em sua fala destacou o empenho da Prefeitura de Colinas em contribuir para o fortalecimento da agricultura e das agroindústrias familiares. Para o prefeito Sandro Hermann a formalização é motivo de orgulho, especialmente por poder acompanhar de perto a “caminhada” da família. “É a realização de um sonho não apenas para vocês, mas para todos nós”, finalizou.

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado

Jornalista Tiago Bald