Cultura RS RSS Destaques Teutônia

Mais de 120 vozes cantam e encantam em Teutônia

A tradição do canto coral ecoou pela igreja Martin Luther (Édson Luís Schaeffer/Divulgação)

Os cantos e encantos dos corais ecoaram pela igreja da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana Martin Luther, no Bairro Languiru, na noite deste domingo, dia 9 de dezembro. Mais de 120 vozes evidenciaram a tradição do canto coral durante o 36º Festival de Coros de Teutônia.

O encontro foi organizado pelo Coral Municipal de Teutônia e pela Secretaria de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer. A programação contou com a apresentação de seis coros, mostrando o porquê Teutônia ostenta o título de Capital Nacional do Canto Coral.

A abertura das apresentações foi com o recém-criado Coral Jovem Municipal de Teutônia, que tem como regente o maestro Marlon Gaussmann, mas, que no evento, foi regido pelo maestro Martin Altevogt. Com a música “Trevo”, eles encantaram o público presente. Foi a segunda apresentação oficial do grupo, que integra os Núcleos de Cultura de Teutônia.

Em seguida, foi a vez do Coral Municipal de Teutônia. Criado em 1983 com o objetivo de manter e qualificar a tradição legada pelos colonizadores alemães, o coral conta com a regência do maestro Martin Altevogt desde 2009. No seu repertório da noite, “Canção do Amigo”, “Disparada” e “Nascemos para cantar”.

A música folclórica italiana se fez presente através do Coral Nova Trento, de Flores da Cunha, que se apresentou na sequência. Sob a regência da maestrina Cibele Tedesco, o grupo trouxe as canções “Vino i allegria”, “Pinheirinhos”, Tu scendi delle stelle” e “Gira l’amore”. O grupo foi fundado em 1972.

Após, foi a vez do Coro Municipal de Esteio fazer a sua apresentação. Criado em 2007 e constituído por cantores amadores, o coral tem como regente o maestro Renato Donini. O seu repertório da noite foi composto pelas canções “Eu só confio no Senhor”, “Se todos fossem iguais a você”, “O canto dos sinos” e “Já vem perto o Natal”.

O Coral Municipal de Imigrante se apresentou na sequência, sob a regência do maestro Martin Altevogt. Criado em 1993, o coral mantém as raízes culturais italianas e alemãs. Na noite, trouxe as canções “Divano”, “Halte mich fest” e “El Condor”.

Na sequência, o Coral Jovem Novo Brilho, de Travesseiro, trouxe um verdadeiro show à igreja Martin Luther. Sob a regência do maestro Paulo Roberto Haas, o grupo nasceu em 2006 e traz, em suas apresentações, clássicos da música internacional através do canto coral e coreografias. O seu repertório no domingo foi composto pelas canções “You raise me up”, “Hallelujah”, Hayl Holly Queen” e Era um garoto como eu”.

O 36º Festival de Coros encerrou com a apresentação conjunta dos corais municipais de Imigrante e Teutônia. Por se tratar da época de Natal, o grande grupo entoou o “Festival de canções”, com quatro músicas natalinas tradicionais.

Segundo o maestro e regente Martin Altevogt, o principal objetivo do Festival de Coros é a integração. “É um momento de confraternização. Temos coros com vários perfis, cada um trazendo o seu jeito de fazer canto coral. Essa confraternização é para poder trocar experiências e vivências. Somos a Capital Nacional do Canto Coral, ou seja, somos uma cidade que vive o canto coral. Hoje é o momento de coroar esta linda tradição”, frisou.

O prefeito, Jonatan Brönstrup, em seu pronunciamento de abertura, destacou a importância do canto coral. “Falar do canto coral na Capital Nacional do Canto Coral não é fácil. Temos o compromisso de manter viva essa tradição, além de fomentá-la, que as futuras gerações deem continuidade a esta rica manifestação artístico-cultural iniciada por nossos antepassados”, ressaltou. O prefeito ainda informou que, em breve, será assinado o contrato com a Associação dos Coros de Teutônia, no valor de R$ 153 mil, para a execução do projeto Encantando Gerações.

Texto: Ascom Teutônia