Artigos - Desenvolvimento Rural

Mais sustentabilidade? Mais Erva-mate, por favor! – por Damiani Gabiatti Biasibetti

Damiani (Foto: Divulgação)

Espécie nativa da América do Sul a Erva-mate tem marcante importância na economia e vida cultural da Região Sul do Brasil. A utilização dessa planta já era conhecida há muito tempo atrás pelos indígenas.

Atualmente, as folhas da Erva-mate são conhecidas pela sua utilização no chimarrão, tererê e chá mate. Contudo, com os desafios enfrentados pelo setor, oportunamente fez com que houvesse a preocupação com pesquisas e novas tecnologias, desta forma a erva-mate ganhou mais utilidades ampliando assim suas possibilidades em preparações farmacêuticas, alimentos, cosméticos, bebidas energéticas, entre outros produtos, tendo sido incorporada por vários empreendimentos.

No Ministério da Saúde brasileiro estão registradas quatorze preparações derivadas de Ilex paraguariensis, em função das propriedades terapêuticas, sendo recomendada como estimulante, antinflamatório, anti-reumático, tônico e diurético (GOSMANN, 1989).

No exterior (especialmente nos países do Hemisfério Norte), a planta já conquistou vasto mercado em função de suas amplas possibilidades de aproveitamento, porém, no Brasil ainda há uma forte resistência em acreditar na sua substancial importância.

Desta forma, o Programa Erva-mate Uma Cultura Aberta- PEMUCA promove ações para impulsionar a sustentabilidade da cadeia e estruturar medidas estratégicas para novos projetos, caminhando junto na ampliação dos horizontes para o aproveitamento da erva-mate além do chimarrão, visando à sustentabilidade e promoção do desenvolvimento da cadeia produtiva da erva-mate.

Você também pode ser nosso aliado, conheça mais sobre o PEMUCA pelo site www.ervamateumaculturaaberta, redes sociais e vamos juntos alavancar esse setor!

Damiani Gabiatti Biasibetti – Coordenadora Executiva | Programa Erva-Mate Uma Cultura Aberta.