Artigos - Gestão de Pessoas

“Metas de fim de ano” – por Carolina Sofia

Carolina Sofia (Foto: Divulgação)
Carolina Sofia (Foto: Divulgação)

A passagem de ano é um período importante para muitas pessoas. Neste período muitos param para refletir sobre suas vidas e pensam no que passou e no que realizaram e começam a almejar e planejar o ano novo que se inicia. Com este planejamento faz-se um balanço do que foi concretizado e também dos sonhos que estão por vir. É um importante período em nossas vidas e que deveria ocorrer durante o ano todo.
Quando analisamos as nossas realizações observamos com mais clareza sobre a forma como estamos nos desenvolvendo. Uma pessoa que não sabe para onde vai não chega onde deseja, ou simplesmente chega a qualquer lugar. Há um conto que explica um pouco melhor isto. Tinha um amigo certa vez que dizia que o grande sonho de sua vida era ganhar na mega-sena. Por muitas vezes o via pedindo muito para que seu desejo se realizasse. Porém um dia lhe fui questionar sobre os números que havia jogado e disse que não jogava nunca, pois não sabia como era. Então me pergunto, como uma pessoa deseja ganhar o prêmio se sequer havia jogado?
Assim entendemos nossos objetivos, pois não se resume a acreditar em algo e desejar profundamente que isso aconteça, mas precisamos fazer por merecer e por acontecer. Há pessoas que dizem que existe sorte ou azar, e mesmo que exista, se não fizermos absolutamente nada a nosso favor para chegar mais perto de nossos objetivos, eles simplesmente não irão se concretizar.
Em nossa vida diária laboral ou pessoal não é diferente. Precisamos saber qual é nosso objetivo, nossa meta, formalizar conosco e assim traçar caminhos para chegar até lá. Metas de curto prazo são mais facilmente executáveis, pois temos mais domínio sobre as variáveis e sobre os passos a desenvolver, por estarem mais próximos. Além de saber a meta e traçar os caminhos, precisamos realizar o proposto e ter persistência. Se algo der errado no percurso é preciso entender, avaliar reprogramar e seguir em frente. Os erros nos ensinam a refletir melhor sobre o que estamos buscando e aprender para não errar novamente no próximo propósito.
Metas de longo prazo são mais onerosas e exigem muito mais persistência. Portanto se você sabe que é daquelas pessoas com pouca paciência e que espera resultados para ontem, procure não estipular metas muito distantes. Vá programando para desenvolver as etapas do seu objetivo final em partes menores. Faça uma programação semanal ou mensal, pois isto auxilia a tornar o percurso muito mais satisfatório e o engajamento maior no resultado. Seja uma meta curta ou de longo prazo, não deixe de estipular metas para sua vida. Uma pessoa que realiza conquistas e atinge metas é muito mais feliz, encontra mais facilmente um sentido para o seu viver no dia-a-dia.

Carol Sofia é Psicóloga e Especialista em Gestão e Docência de Ensino Superior.