Artigos - Saúde e Bem-estar

“Meu corpo conta minha história” – por Eliana Giacobbo

Eliana Giacobbo (Foto: Divulgação)

Não é o cérebro que escolhe os pensamentos, mas sim a pessoa, que é a dona da mente. E o nosso corpo é um registro de quais informações (positivas ou negativas) enviamos ao nosso cérebro. E se o meu corpo está sofrendo com peso em excesso devido a minha história de vida é hora de mudar a história, assim mudarei o peso também.

É muito comum encontrar pessoas com excesso de peso que falam: “já tentei de tudo”, “não tenho jeito”, “não sou atraente e nunca vou ser”, “sei que é bom fazer exercícios físicos, mas não gosto e nunca vou gostar”, “é tudo muito difícil”, “é a idade, não tenho mais jeito”, …

Quando falo essas frases estou simplesmente afirmando os pensamentos relacionados às crenças negativas e como posso imaginar que algo vai dar certo, se acredito que não tenho jeito?

O pensamento é algo muito complicado e complexo e se pensarmos como algumas palavras podem nos chamar atenção, então que tal pensar quais dessas nos remetem ao passado: gorducho, leve, comilão, vital, relaxado, sucesso, feio, renovado, pesado, desajeitado, querido, preguiçoso, vencedor, fracassado, satisfeito, guloso, livre, fofo, livre.

Que tipos de emoções estão ligadas a cada palavra que chamou a atenção? As emoções nos remetem a algum momento de nossa vida que marcou por algum motivo e elas guiam nossas vidas. Fatos marcantes do passado podem interferir negativamente para sempre na vida de uma pessoa, basta que a mesma deixe sempre a mente seguir no piloto automático.

Porém uma pessoa que descobre que pode mudar de atitude, de corpo e de vida mudando os hábitos das palavras utilizadas, coloca em prática, muda também as emoções, consequentemente tudo começa a mudar. O que leva muitas pessoas a descobrirem que seu peso é consequência de sua história de vida e não é capaz de mudar?

Muitas vezes é devido ao trabalho que dá para mudar algo que está muito incorporado à rotina da pessoa. Dá trabalho sim, dá trabalho e é necessário pensar, investir tempo para dar atenção às frases e as palavras que está utilizando.

Segundo especialistas, nós somos a média das cinco pessoas com quem mais nos relacionamos, então vamos pensar: Quem me influencia? Como? Quem eu influencio? Como? Falar frases negativas, reclamar, dar culpa ao universo é um hábito e isso pode ser mudado. Se você convive com pessoas que possuem o hábito de falar as frases negativas anteriormente descritas é interessante não dar coro à crítica, ou seja, ficar ouvindo e concordando, nem se é “só para não entrar em conflito”.

É interessante mudar o assunto, assim além de você não entrar na energia negativa emitida, ainda contribui para mudança de hábito da pessoa que você convive. Do contrário se você não for um “reclamão” é bem provável que com o passar do tempo vai ficar. Quem são as 5 pessoas que você mais convive hoje e como elas se comportam em relação às frases anteriormente relatadas?

Eliana Giacobbo – Nutricionista Coach de Emagrecimento