Saúde RSS Estrela

Mobilização no combate à Dengue ganha força em Estrela

Carmen Hentschke, coordenadora da Vigilância em Saúde de Estrela: inspeções e visitas aos bairros são rotineiras (Foto: Divulgação/Arquivo)
Carmen Hentschke, coordenadora da Vigilância em Saúde de Estrela: inspeções e visitas aos bairros são rotineiras (Foto: Divulgação/Arquivo)

A chegada dos dias mais quentes, período mais propício para o surgimento do Aedes aegypti, por isso mais crítico para a área de saúde no combate à dengue e outras doenças, faz com que o Governo de Estrela, através da Secretaria Municipal da Saúde, tome uma série de medidas. Campanhas de conscientização, testes, pesquisas e outras ações estão sendo realizadas dentro do Plano Municipal de Enfrentamento ao mosquito transmissor da Dengue e também da febre Chicungunya e o Zika vírus. Há focos nos bairros, mas não há ocorrência de doentes.

A equipe da Vigilância em Saúde de Estrela realizou, em novembro, mais um Levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), com a visita a casas e terrenos baldios em diversos pontos do município. Ao todo foram 477 visitas, com 83 coletas de amostras de larvas. Conforme a coordenadora da Vigilância em Saúde de Estrela, enfermeira Carmen Hentschke, o Índice de Infestação Predial (IIP) é menor do que na mesma época do ano passado. “A amostragem nos deu um índice de 1,9%, menor do que os 2,3% de novembro do ano passado, mas maior que os 0,7% de abril. Isso mostra como esta época é mesmo mais propícia para o surgimento das larvas. E temos como base de que quando o IPP passa de 1%, devemos ficar em alerta”, explica.

Bairros

O resultado da análise laboratorial mostrou que os focos estão em cinco bairros: dos Estados, Pinheiros, Moinhos, Centro e Cristo Rei. Ainda assim não há registro de nenhum doente no município. A coordenadora faz outro alerta. “A questão é que mosquito voa e pode ir para outros bairros que não apareceram no levantamento, ou nestes bairros pode apenas não ter sido realizada a coleta em um ponto infestado.” Conforme Carmen Hentschke, os cuidados precisam ser redobrados nesta época do ano. “Os dias quentes seguem, e ainda quando há a ocorrência de chuvas cria-se um ambiente ainda mais propício para o surgimento dos criadouros de mosquitos”, destaca.

Segundo a enfermeira, pequenas ações podem ajudar no combate, mas é de extrema importância uma maior atenção dos cidadãos. “As pessoas não podem facilitar, os cuidados devem se seguir o ano todo, como a higienização dos pátios, terrenos baldios, mas redobrados nesta época. Encontramos muitos locais com foco, que são os potenciais criadouros do vetor. Ainda temos que melhorar, por exemplo, no descarte de lixo, que as vezes é feito de maneira incorreta, em locais impróprios, em dias que não há coleta, e isto tudo pode ajudar no surgimento do mosquito vetor”, explica. Ainda segunda a enfermeira, a equipe de saúde tem realizado um intensivo de visitas de orientação nos quarteirões destes bairros que estão infestados, sempre identificados. “As visitas de orientação ocorrem o ano inteiro, mas agora estamos fazendo um intensivo nestes bairros, passando de casa em casa, dando dicas e orientando os moradores, e nas casas em que não encontramos ninguém deixamos material educativo”. Mais informações pelo telefone 3981-1136.

Texto: Ascom Estrela