Educação RSS Teutônia

Mostra Científica destaca os 65 anos do Colégio Teutônia e os 500 anos da Reforma

Comunidade prestigiou a apresentação dos 66 trabalhos de iniciação científica desenvolvidos pelos estudantes do CT (Foto: Leandro Augusto Hamester)
Comunidade prestigiou a apresentação dos 66 trabalhos de iniciação científica desenvolvidos pelos estudantes do CT (Foto: Leandro Augusto Hamester)

Nos dias 14 e 15 de setembro o Colégio Teutônia realizou a 4ª edição da sua Mostra Científica. Considerando que em 2017 o educandário completou 65 anos e em outubro comemoramos os 500 anos da Reforma Protestante de Lutero, o tema gerador do evento não poderia ser outro: “CT, 65 anos de conhecimento em 500 anos de Reforma”.

A abertura da programação ocorreu na noite de quinta-feira, com a presença marcante da comunidade escolar. Apesar da chuva, os estudantes da 3ª série do Ensino Médio, coordenados pela professora Creise Steffens Baukat, apresentaram peça teatral no pátio, em frente ao Auditório Central, onde estiveram expostos os trabalhos de iniciação científica dos estudantes. O grupo encenou o contexto desde a Reforma Protestante de Lutero, a imigração alemã no Brasil e a fundação do Colégio Teutônia, com aspectos históricos e atuais, como também desejos de futuro. Na noite também foram premiados os estudantes Êmely Thainá Ahlert e Murilo Henrique Bervig, do 7º ano do Ensino Fundamental, autores da logomarca da 4ª Mostra Científica.

“Nesta caminhada de 65 anos, o Colégio Teutônia mais do que ensinou, aprendeu. Estamos em um contínuo desafiar-se com vistas a consolidar um projeto pedagógico que caminhe pelo território do saber, construindo sentidos, fazendo conexões, tendo a pesquisa como princípio educativo”, destaca a coordenadora pedagógica geral do CT, Andrea Wallauer.

Para o diretor Jonas Rückert, a Mostra Científica permite que professores e estudantes apresentem à comunidade a produção de projetos de pesquisa realizados ao longo do ano. “É o resultado da dedicação conjunta, a culminância de uma etapa, que não sabemos quando termina, gerando ‘ecos’ que são para a vida”, avaliou.

Os trabalhos desenvolvidos para a Mostra Científica foram inspirados pelo pesquisador Fábio Mendes, que também prestigiou o evento. “A iniciação científica forma pesquisadores, pessoas com senso crítico, com capacidade de olhar para seu entorno de maneira curiosa e avaliar que atitudes podem, e devem, ser tomadas para transformar a realidade e, de fato, construir aprendizagens significativas. Me sinto feliz em poder fazer parte disso e ver o envolvimento da comunidade escolar. A pesquisa nos permite mudar o mundo, e todos nós devemos fazer parte dessa mudança, ao invés de sermos levados por ela”, disse Mendes na abertura do evento.

Entre as atividades que integraram a programação, destaque para as oficinas Biboo Bike, com bicicletas de equilíbrio feitas de bambu, Maker, com impressora 3D, e Pirâmides de Equilíbrio, também feitas de bambu; além de competição das pontes de espaguete criadas pelos estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental do CT com estudantes da Univates; competição de carrinhos de papelão, confeccionados pelos estudantes da 1ª série do Ensino Médio em parceria com colegas da Univates; e desafio da queda do ovo, com estudantes de Mini-Makers de seis a nove anos do CT.

O evento contou com a exposição de 66 trabalhos de pesquisa dos estudantes, os quais deverão dar origem à revista de iniciação científica do Colégio Teutônia.

Texto: Ascom Teutônia