Saúde Meio Ambiente Cruzeiro do Sul

Município registra casos recorrentes de mosquito da dengue

A doença infecciosa pode ser transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A Secretaria da Saúde e Saneamento de Cruzeiro do Sul, por meio do seu departamento de vigilância ambiental, alerta a população quanto a identificação de focos de mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, febre amarela e chukungunya.

De acordo com levantamento do profissional agente de combate de endemias, são quatro focos identificados recentemente na área central da cidade. Inclusive, houve recorrência em, pelo menos, um ponto. Durante o levantamento de índice também foram encontrados possíveis focos em outros quarteirões da cidade. Há uma série de material coletado que ainda aguarda o resultado da análise laboratorial, correndo-se o risco de aumentar o número confirmado de focos do mosquito.

Segundo o departamento há a necessidade de uma sensibilidade e conscientização maior da população, caso contrário, em pouco tempo poderá ocorrer um surto. E com o surto é necessário a aplicação de veneno, o que também pode se tornar prejudicial para os seres humanos.

Importante lembrar que em Cruzeiro ainda não foram registrados casos de dengue, contudo outros municípios próximos já têm casos da doença, o que torna o cenário assustador, tendo em vista que há o inseto transmissor na cidade.

De acordo com dados do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), no que diz respeito a infestação do mosquito no Rio Grande do Sul, no ano 2000 eram 14 municípios infestados. Passados 20 anos o número chega a quase 400 cidades com a presença do Aedes.

A Secretaria da Saúde e Saneamento reforça a importância das pessoas cuidarem dos seus pátios e terrenos baldios, evitando que ocorra a incidência de água parada, que é a única maneira para que ocorre a proliferação do inseto. Uma tampinha de garrafa com água acumulada é suficiente para que o mosquito coloque seus ovos e os mesmos eclodam. Segundo os profissionais assim que o ovo do mosquito entra em contato com a água, em cerca de dez minutos ele eclode e em sete dias se torna um mosquito adulto, que no oitavo dia já estará pondo ovos. Cada fêmea coloca em torno de 1,5 mil ovos. O mosquito vive entre 30 e 35 dias.

 

Assessoria de Imprensa de Cruzeiro do Sul