Saúde RSS Forquetinha

Município sedia encontro regional de saúde mental

Grupo de profissionais da saúde e administração definem as atrações e atividades para integrar os participantes (Foto; Divulgação)
Grupo de profissionais da saúde e administração definem as atrações e atividades para integrar os participantes (Foto; Divulgação)

O município sediará no dia 10 de novembro o XVIII Encontro Regional de Saúde Mental, no Parque Christoph Bauer, em Bauereck. O evento é uma promoção da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde de Lajeado, em parceira com a Administração Municipal, através da Secretaria Municipal da Saúde, Habitação e Assistência Social.

Conforme a secretária da Saúde, Heidi Grunewald, o  objetivo do encontro é comemorar os avanços da Reforma Psiquiátrica na região, com a abertura de novas formas e espaços de cuidado em liberdade, como o CAPS e a implantação das oficinas terapêuticas na atenção básica, diminuindo assim, o número de internações em hospitais psiquiátricos. “Buscamos auxiliar no tratamento e na integração social com a realização de oficinas e trabalhos em grupo com acompanhamento de profissionais capacitados”, destaca.

De acordo com Heidi, o evento propõe um momento de integração entre usuários e profissionais de serviços de saúde mental, com o intuito de celebrar a importância do cuidado em liberdade, na sociedade e perto da família, com inclusão nos espaços de cidadania, tendo um olhar para as necessidades singulares de cada paciente.

Na última terça-feira (13), o grupo responsável pela organização do encontro reuniu-se para definir os detalhes da programação, o tema e as atividades de integração presentes no dia do evento. Segundo a psicóloga Angélica Márcia Renner, é preciso lutar para manter os avanços e conquistas dos últimos anos. “Prender não é cuidar. É necessário acolher, ouvir e ajudar os pacientes e seus familiares”, destaca.

Angélica reforça que durante o encontro será destacada a necessidade de manter a luta e buscar avanços quanto aos projetos desenvolvidos para auxiliar nos tratamentos e na prevenção. “Queremos cuidar, envolver a família e a comunidade. Não podemos retroceder às internações em manicômios”, aponta. O último encontro ocorreu em Bom Retiro do Sul no ano passado. Na ocasião participaram 1,4 mil pessoas de 37 municípios da região e 42 serviços de saúde mental. Para Forquetinha, são aguardadas mais de 1 mil participantes.

Terapia em grupo
Desde 2013 o município mantém dois grupos de trabalho e apoio a pessoas que têm e ou estão com algum sofrimento psíquico. Angélica reforça que o trabalho é estendido ao público geral, compreendendo que é o espaço da diversidade que tem maior potencial criativo e terapêutico. Os encontros ocorrem todas as semanas nas quintas e sextas-feiras à tarde no auditório da Clínica, ao lado da Unidade de Saúde.

O projeto foi elaborado em 2012 e um ano após entrou em funcionamento. Atualmente são atendidas em torno de 30 pessoas, cuja idade varia entre 19 e 70 anos. Nas oficinas terapêuticas são desenvolvidas atividades de integração, artesanato, rodas de conversas e brincadeiras. “Queremos evitar que essas pessoas fiquem isoladas queremos trazê-las para o convívio na sociedade. Esse trabalho envolve a família, um dos pontos principais para obter êxito na prevenção e no tratamento, finaliza.

Texto: Ascom Forquetinha