Cultura RSS Os Vales em Notícia Destaques Teutônia Turismo

Museu Henrique Üebel recebeu mais de 2.300 visitantes em 2019

Localizado junto ao Centro Administrativo, Museu conta com acervo que remete às ferramentas e objetos dos antepassados, bem como abriga os instrumentos do homem-orquestra, Henrique Üebel

O Museu Henrique Üebel é um dos cartões-postais de Teutônia, integrando o complexo do Centro Administrativo. Seu rico acervo conta com móveis e objetos antigos, inclusive muitos itens que remetem à época de colonização do município, o que tem atraído visitantes de outros estados e, inclusive, países.

Conforme registro do livro de visitas, mais de 2.300 pessoas visitaram o Museu Henrique Üebel em 2019. Em 2018, foram em torno de 2.000 visitantes. E em 2017, foram aproximadamente 800 visitantes, sendo que o museu ficou um período fechado devido a restauro no local. O número de visitantes, no entanto, pode ser maior, tendo em vista que nem todos assinam o livro de visitas.

Dentre os visitantes de 2019, estavam pessoas de várias cidades gaúchas, além de mais de 10 estados brasileiros, como Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Distrito Federal, entre outros. E pelo menos cinco países estiveram representados entre os visitantes: Alemanha, Estados Unidos, Uruguai, Paraguai e Argentina.

Conforme o secretário de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer, Jean Marcos Galvão, o Museu Henrique Üebel é um espaço de suma importância para Teutônia e região. “Caminhar pelo Museu Henrique Üebel é fazer uma viagem pelo tempo, em que podemos ver, através do acervo, como viviam os antepassados que iniciaram e construíram a história de Teutônia”, sublinha.

O Museu Henrique Üebel foi criado em 6 de maio de 1993, através da Lei 731/1993, e inaugurado em 21 de maio de 1993. Seu acervo conta com mais de 2 mil peças. O destaque fica para os instrumentos musicais utilizados por Henrique Üebel. Conhecido como Homem-Orquestra, Üebel tocava sete instrumentos simultaneamente. “Essa façanha proporcionava aos ouvintes uma apresentação digna de orquestra”, coloca Aneli Dickel, uma das responsáveis pelo Museu.

Dentre outras peças estão sapatos-de-pau, vestidos antigos das soberanas, fotografias antigas, ferramentas e móveis antigos raros, como câmeras fotográficas, máquinas de escrever, ferramentas agrícolas, entre inúmeros outros. Os horários de visitação são os seguintes: de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h30min e 13h30min às 17h; e sábados, domingos e feriados, das 14h às 17h. Outros horários, mediante agendamento. Agendamentos podem ser feitos pelo telefone (51) 3762-7775.

Texto: Édson Luís Schaeffer

Fotos: Leo Wiebusch | Édson Luís Schaeffer | divulgação