Saúde Meio Ambiente Teutônia

Neste sábado tem mutirão de combate ao mosquito da dengue no Bairro Centro Administrativo

Eliminar os focos do mosquito é dever de todos

Ação ocorre em 15 quarteirões, na região em que há dois casos confirmados de dengue e um caso suspeito. Mutirão será realizado em outros locais em data a ser confirmada

 

Neste sábado, dia 24 de agosto, agentes de de Combate a Endemias e agentes comunitários de saúde estarão realizando o Dia D contra a dengue, através do Mutirão de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti, no Bairro Centro Administrativo. A ação ocorre em 15 quarteirões, na região em que há dois casos confirmados de dengue e um caso suspeito.

O mutirão ocorre das 7h30min às 11h30min, nas quadras compreendidas entre a Avenida 1 Norte e a Rua Ricardo Luersen e entre a Rua 2 Leste e a ERS-128 (Via Láctea). Na ocasião haverá a limpeza de pátios, que deve ser feita por cada morador, e recolhimento, pela equipe da Prefeitura, de resíduos recicláveis e/ou orgânicos para o controle e eliminação de focos do mosquito Aedes, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Além disso, os agentes estarão à disposição para esclarece dúvidas da comunidade.

Em vistoria recente nesta região, foram encontrados focos e larvas do Aedes Aegypti. Além disso, nesta área estão os dois casos autóctones confirmados e um caso suspeito de dengue. Neste sentido, as Vigilâncias Sanitária, Ambiental e Epidemiológica entendem que o mutirão de limpeza e recolhimento de resíduos recicláveis é a medida mais eficaz para eliminar criadouros, muitas vezes, não visíveis para o morador.

Para o mutirão, solicita-se a colaboração dos moradores, para que verifiquem seus pátios, caixas d’água, potes, tampinhas de garrafa, pneus, plantas, enfim, qualquer eventual criadouro do mosquito. “Hoje pode ser a dengue, mas, se não houver precaução, no futuro pode ser o zika vírus ou a Chikungunya. Vamos todos fazer a nossa parte”, adverte o coordenador das Vigilâncias Ambiental e Sanitária, Evandro do Canto Borba.

 

Como identificar a dengue

Os sintomas da dengue são:

– febre alta, acima de 38 graus;

– dor de cabeça;

– dor musculares e articulações (popularmente conhecida como dor nas juntas);

– dor no corpo (quebra ossos);

– fraqueza;

– manchas vermelhas na pele (às vezes);

– falta de apetite;

– náuseas;

– vômitos.

O paciente pode não apresentar nenhum sintoma ou apresentar sintomas leves e graves. Caso alguém suspeite que esteja com dengue, deverá o quanto antes procurar a Unidade de Saúde mais próxima. Os sintomas podem ser confundidos com outras doenças (como gripe e sarampo). Por isso, é importante procurar imediatamente atendimento em uma unidade de saúde, pois somente com o diagnóstico é possível realizar tratamento adequado.

O diagnóstico e o tratamento adequado visam evitar que a dengue evolua para formas mais graves, como a dengue hemorrágica, que apresenta sangramento nas mucosas, olhos, nariz, boca e baixa pressão arterial. “Pede-se uma atenção especial às crianças menores de 12 anos, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, diabéticos, hipertensos, problemas renais, entre outros”, colocam.

 

COMO COMBATER O AEDES AEGYPTI

O combate do Aedes aegypti é tarefa de todos. Por isso, siga essas dicas:

– Baldes e vasos de plantas vazios: Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo;

– Piscinas: Mantenha a piscina sempre limpa e use cloro para tratar a água;

– Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: Atrás da geladeira existe um coletor de água, que deve ser lavado uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado;

– Calhas: Mantenha-as sempre limpas, sem folhas e nivelada, melhorando, assim, a passagem de água;

– Cacos de vidro nos muros: Quebre todos os cacos que possam acumular água ou vede com cimento;

– Garrafas de vidro ou de plástico (pet): As garrafas devem ser, obrigatoriamente, embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberto ou de boca parta baixo;

– Lajes: Não deixe água acumular nas lajes, mantendo-as sempre secas;

– Ralos: Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso;

– Vasos sanitários: Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico;

– Plantas que acumulam água: Evite plantas que acumulem água ou retire, semanalmente, a água das folhas;

– Suporte de garrafão de água mineral: Lave-o sempre quando fizer a troca ou mantenha vedado quando não estiver em uso;

– Falhas nos rebocos: Conserte ou nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água;

– Caixas de água, cisternas e poços: Mantenha-os fechados e vedados com tampa;

– Tonéis e depósitos de água: Mantenha-os vedados e os que não têm tampa devem ser escovados e cobertos com tela;

– Objetos que acumulam água: Coloque num saco plástico, feche bem e jogue corretamente no lixo;

– Vasilhas para animais: Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana;

– Pratinhos de vasos com plantas: Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda;

– Objetos d’água decorativos: Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os de areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito;

– Lixo, entulho e pneus velhos: Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água;

– Lixeira dentro ou fora de casa: Mantenha a lixeira tampada e protegida da chuva, além de fechar bem o saco plástico.

 

 

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer

 Assessoria de Imprensa de Teutônia