Meio Ambiente Obras Estrela

Nova célula de rejeitos da UTL está em fase de conclusão

Colocação de “rachão” é uma das últimas etapas para conclusão da célula

Expectativa é de que na próxima semana o local possa começar a receber material

Está em fase de conclusão a implantação da nova célula de rejeitos junto à Usina de Tratamento de Lixo (UTL) de Estrela. O Governo Municipal, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Saneamento Básico, está investindo R$ 286.898,00 nesta primeira fase, que corresponde a 25% do total da célula, que será feita em quatro etapas. Nesta, ela terá 40 metros de comprimento e oito de profundidade. A estimativa é de que tenha uma vida útil de 26 meses. Ao final, quando todas as etapas estiverem concluídas, estima-se que possa ser utilizada por um período de dez anos.

A obra compreende a recomposição dos taludes da célula que já estava parcialmente cavada. Entre outros serviços, foi feita a compactação do terreno, impermeabilização do solo, drenagem do chorume, do gás e pluvial. Quando iniciar a operação será realizado o sistema de aspersão do chorume. Para a impermeabilização foi colocada uma geomembrana, que totaliza em 2.777 metros quadrados somente nos primeiros 25% do empreendimento. Os trabalhos, executados por empresa contratada pelo município por meio de processo licitatório, estão sendo finalizados com a colocação de “rachão” e a cobertura final com manta geotextil. A expectativa é de a obra esteja concluída na próxima semana. A partir daí os rejeitos poderão ser colocados no local, já que a existente na UTL está com sua capacidade esgotada.

O município possui coleta seletiva, com dias específicos para o recolhimento do lixo seco e orgânico. De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente e Saneamento Básico, é importante que os moradores separem os resíduos e coloquem em frente às suas residências somente nos dias em que cada tipo é coletado. A separação do lixo é importante, pois os materiais recicláveis são leiloados pela prefeitura e também contribui para diminuir a quantidade de rejeitos, o que acarretará no aumento da vida útil da célula onde são depositados.

 

Texto e fotos: Paulo Ricardo Schneider
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Estrela