Artigos - Geral

“O desafio dos líderes no conflito das gerações” este é o artigo da psicóloga Merihelem Pierry

MerihelenLi este artigo há um tempo atrás e achei interessante compartilhar neste momento com vocês. Muito se tem falado sobre o conflito de gerações dentro das empresas. Confesso que durante algum tempo me convenci que esse fenômeno realmente existia e passei a observar mais isso nas empresas. As inúmeras conversas com profissionais das mais diferentes gerações me ajudaram a clarificar a percepção e concluir, sem qualquer dúvida que o conflito está na liderança.

Um conflito ocorre quando as pessoas possuem opiniões divergentes, defendem causas opostas ou querem coisas diferentes. Mas, analise comigo: Após muitos estudos sobre a famosa Geração Y, alguns conceitos foram explanados a respeito do perfil destes jovens.
Chegou-se a conclusão que a Geração Y deseja trabalhar em uma empresa que lhes proporcione reconhecimento, oportunidade de crescimento, metas claras e desafiadoras. Além disso, querem sentir-se parte e, a partir do seu trabalho, conquistar um padrão de vida superior.

Também fica claro que é uma geração que não aceita trabalhar insubordinada para qualquer um, não aceita a maioria das regras, procedimentos e planos de carreira fantasiosos que as empresas praticam e não pretendem ficar anos na mesma empresa só para um dia, talvez, subir de cargo. Face a isso, reflita comigo: a Geração X quer alguma coisa diferente disso?

É claro que não! Todos, independente da geração, querem uma empresa que os valorize, que os dê oportunidade de aprender, crescer e contribuir e que, acima de tudo, reconheça a sua atuação e os resultados conquistados. Já ouvi por inúmeras vezes que a Geração Y é menos comprometida com as empresas e mais focada em suas carreiras, que não respeitam hierarquia e que não valorizam as oportunidades oferecidas. Concordo que muitos profissionais são assim, mas não apenas nas gerações mais jovens. A Geração Y é tão descontente com as empresas quanto a X ou qualquer outra geração.

A questão é que as pessoas com mais idade, naturalmente, assumiram mais responsabilidades na vida – pagam aluguel, têm filhos, sustentam famílias – logo não podem perder o emprego. As gerações são diferentes, mas não os seus anseios e, sim, nas suas competências, no seu modo de ser e agir. Você, líder de uma geração mais jovem, deseja a mesma coisa que eles. A questão é que a vida lhe trouxe maturidade, experiência, conhecimento, virtudes que lhe permitem agir com maior ponderação e assertividade.

E hoje, na liderança, você se depara com profissionais que desejam chegar ao seu patamar, mas que possuem, é claro, um tempo de vida que não lhe permite enxergar o que você (hoje) enxerga. Portanto, uma pergunta se faz necessária: Onde está o conflito de gerações?

O conflito está na liderança, na maneira que o líder compreende as inevitáveis diferenças e age diante delas. Não podemos esquecer que o líder é elemento essencial na busca do equilíbrio entre as gerações, pois são os comunicadores e identificadores das diversas situações ocorridas no ambiente de trabalho. Desta forma, ele deverá ter um bom relacionamento com todas as gerações, a fim de influenciá-las e as integrar, trazendo resultados positivos e eficientes para toda a empresa.

O primeiro passo deve ser compreender o comportamento e os objetivos de cada geração, a fim de estabelecer estratégias que estimulem cada indivíduo a dar o melhor de si, que somado aos que os outros indivíduos possuem de melhor, contribuirão para o desenvolvimento ativo da organização e para seu próprio desenvolvimento profissional e pessoal.

Fonte: Alexandre Prates, 2014

Boa semana!
Merihelem Pierry – Psicóloga. Pós-Graduada em Gestão Estratégica de Pessoas.